A nação se organiza

O país e suas instituições vão adquirindo forma e essência após ratificar definitivamente sua emancipação.

martes, 20 de julio de 2010  
Guerra del Pacífico Combate Naval de Iquique

Declarada a independência em 1818, o chefe supremo do Chile, Bernardo O’Higgins, determinou, como um dos principais objetivos, extinguirem os focos de resistência inclinados à coroa espanhola, ainda ativos no sul do território. Uma tarefa que levou três anos.

Paralelamente, trabalhou na formação de uma força naval chamada Primeira Esquadra Nacional, que teve como seu ideologista o britânico Thomas Cochrane. Sua campanha mais célebre permitiu a expulsão dos realistas do Peru, leais à Espanha, e a independência do Chile em 1821.

Já em 1823, devido às pressões da oposição, O’Higgins abdica e se autoexilia em Lima. Em seu lugar, foi instalada uma junta provisória e sucessivas administrações, que incluíram a tentativa de um frustrado sistema federal.

A luta de poderes terminou numa guerra civil (1829) na qual saiu vitorioso José Joaquín Prieto, que deu início ao período conhecido como República Conservadora ou Autoritária. Na qualidade de primeiro mandatário, teve a missão de estabelecer a ordem pública e reativar a economia através do fomento ao comércio, apoiado pelo descobrimento de reservas de prata no norte.

Influência de Portales

Baseada na máxima do político Diego Portales – para muitos o grande ideologista republicano – de um “governo forte, centralizador, cujos homens sejam verdadeiros modelos de virtude e patriotismo” foi que se ditou em 1833 uma nova carta magna que regeu por quase um século e outorgava amplos poderes ao Presidente.

Embora vitoriosos no conflito armado tendente a desarticular a confederação que unia o Peru com a Bolívia pela suposta ameaça para a hegemonia nacional no Pacífico, Prieto e Portales somaram detratores. Posteriormente, o presidente Manuel Bulnes (1841-1851) conseguiria para o Chile o reconhecimento da Espanha como nação independente e a expansão do território junto à posse do estreito de Magalhães, no extremo austral.

O governo seguinte de Manuel Montt (1851-1861) estaria marcado por avanços em obras públicas. Entre estes a linha férrea, a promulgação de um código civil idealizado pelo destacado intelectual venezuelano Andrés Bello e o estímulo da chegada dos colonos alemães a Puerto Montt, cujas raízes perduram com nitidez até nossos dias.

República Liberal

A administração abriu espaço a um lapso de 30 anos denominado República Liberal, que começou com a nivelação dos poderes executivo e legislativo através de modificações constitucionais, continuou com a liberdade de culto e foi coroado com um processo integral de expansão.

Em assuntos econômicos, progrediram a agricultura e a indústria, bem como também a nação se desfez do sistema que, com o estabelecimento dos bancos, utilizava moedas e o recente nascimento do papel-moeda. Isso fomentou o intercâmbio comercial. Na área territorial, acabou a extensa Guerra de Arauco com a pacificação da zona mapuche e foi anexada a ilha de Páscoa.

No entanto, o fato mais transcendente dessa era foi a Guerra do Pacífico (1879-1884), na que o Chile venceu a Confederação Peru-Boliviana. Isto permitiu a incorporação das terras mineiras do norte, ricas em salitre e cobre, desenvolvendo dita zona a mercê da chegada de capitais estrangeiros.

Assim como em outros episódios da história, o sucesso bélico não garantiu a estabilidade interna. O mandatário José Manuel Balmaceda enfrentou a oposição da aristocracia, a classe média e o parlamento, o que se traduziu em uma guerra civil que acabou com sua morte em 1891. Fato marcante para o regime presidencial.