Antofagasta: muito mais que a Portada

O principal porto mineiro do norte do Chile cresceu progressivamente nos últimos tempos. Uma cidade moderna e com muito comércio mistura-se com um litoral desértico e com belas formações rochosas.

martes, 20 de julio de 2010  
Antofagasta Antofagasta (Photo: Sernatur)

Antofagasta possui uma longa história. Seus primeiros habitantes foram os changos, moradores milenares da zona. Estes batizaram a atual capital regional como “A Porta do Sol” ou Antofagasti. A razão provém do atual Monumento Natural que é cartão postal obrigatório em cada visita: “La Portada”.

É uma grande atração, mas não a única. Há várias coisas para se observar numa cidade que na última década sofreu mudanças drásticas que fizeram com que um porto moderno avançasse a ser algo mais. A identidade ainda está em processo nessa cidade fundada em 1870 como “La Chimba” e que era considerada patrimônio boliviano prévio à Guerra do Pacífico.

Antofagasta é a principal cidade mineira do país. O seu porto recebe o resultado de todas as extrações minerais feitas na região. Fato esse que continua aumentando, provocando um crescimento rápido e perceptível nos centros comerciais modernos que ostenta, com lojas de alto nível.
Se você quiser ver a parte mais tradicional deve visitar a praça de Armas, que está rodeada de antigos prédios. Ou talvez visitar o mercado e comer um cebiche com ostiones (tipo de marisco) observando o trabalho local. Um lindo passeio é percorrer a remodelada e quilométrica orla marítima que possibilitou a recuperação desta importante e bela margem costeira da cidade.

Atrações

Praias
As melhores praias ficam no norte, onde se sobressai a famosa La Portada, composta por uma enorme rocha que sofreu a erosão do mar e possui a forma de um arco. Também se encontra a bela Hornitos, com águas tranquilas ideais para o banho, de areias finas e onde se pode pegar machas e outros mariscos com a rudimentar técnica dos pés.

Por outro lado, a baía de Mejillones é ideal para a pesca, o mergulho e a caça submarina. Nesta zona do país é importante ter certos cuidados como utilizar protetor solar, devido ao calor e à radiação solar. As marés são perigosas sendo recomendável seguir as indicações dos salva-vidas.

Museu regional

Localizado no bairro histórico, a uma quadra da praça, a fachada não poderia ser melhor, corresponde ao antigo prédio da Aduana. No seu interior há uma vasta mostra mineralógica, histórica e cultural. Possui mais de nove mil peças lindamente expostas.

Ruínas de Huanchaca

Os vestígios desta antiga mina de prata (1892) estão localizados na Avenida Argentina de Antofagasta. Sua arquitetura chama a atenção pelas grossas paredes de pedra avermelhadas. Em seu tempo foi considerada a refinadora mais moderna do continente. Neste lugar, normalmente em dezembro, se comemora o concerto de Natal com animados fogos de artifício e a apresentação do coro e da orquestra sinfônica de Antofagasta.

A mão do deserto

Muitas pessoas se surpreendem quando se deparam com esta mão de 11 metros de altura que emerge da areia e que parece estar cumprimentando a todos os que passam. Esculpida em pedra de granito em 1992 pelo chileno Mario Irarrázabal, está localizada a 1.100 metros de altura e a 75 quilômetros ao sul de Antofagasta. É uma foto obrigatória.

Observatório Morro Paranal

Este moderno observatório se encontra a 120 quilômetros ao sul de Antofagasta. É considerado um dos mais importantes do mundo e funciona com um VLT (Very Large Telescope) que consiste em quatro telescópios em série de 8,2 de diâmetro cada um. É operado pela ESO (European Southern Observatory). O complexo astronômico está localizado a 2.600 metros de altitude, no pico do morro Paranal. Pode-se visitar nos fins de semana e aproveitar as condições do céu chileno, praticamente únicos no mundo.

img_banner