San Pedro de Atacama: Rainha do Deserto

Um povoado pitoresco e charmoso junto ao imponente vulcão Licancabur, está a 314 quilômetros de Antofagasta.

miércoles, 21 de julio de 2010  
San Pedro de Atacama San Pedro de Atacama

San Pedro é a terra dos indígenas atacameños ou kunzas, uma antiga cultura que se desenvolveu na beira de um fértil oásis. Hoje é o centro de um massivo turismo internacional.

O povoado oferece uma grande variedade de alojamentos, desde econômicos quartos até hotéis-boutique muito sofisticados. A oferta de restaurantes de comida típica também permite escolher dentre diferentes opções.

O percurso pode começar no Instituto de Investigações Arqueológicas e Museu R.P. Gustavo le Paige s.j., na esquina da praça de armas, que oferece uma extraordinária exposição na qual estão resumidos os 11 mil anos da cultura atacamenha, que conta com 300 mil peças arqueológicas e etnográficas.

Se a idéia é se refrescar, nada melhor que visitar o Oásis Alberto Terrazas, ex-Pozo 3. Trata-se de uma piscina de morna e deliciosa água natural, com média de 23o C, emanada de um poço natural. Seu nome é uma homenagem a Alberto Terrazas, engenheiro mineiro e empresário local construtor do balneário que permanece aberto às 24h todos os dias do ano.

A visita à igreja de San Pedro é inevitável. Embora tenha requerido de várias reparações, suas paredes datam de 1744 e, desde então, é o centro das principais festividades do povoado, como o carnaval que se comemora nos últimos dias de fevereiro com danças, comidas e bebidas típicas. No dia 29 de junho também se reúnem as companhias de dança de todos os vilarejos próximos e no dia 25 de dezembro se realiza a adoração ao menino Deus que se festeja com danças religiosas.

Aventuras saindo de San Pedro

Em San Pedro se oferecem expedições ao deserto e ao altiplano. Muitas empresas locais oferecem viagens a todos os lugares turísticos. No Chile, a zona de San Pedro é, sem dúvida, um dos lugares com o maior número de atrações.

Valle de la Luna

Está a 17 quilômetros de San Pedro de Atacama, na zona da Cordilheira do Sal. É um lugar muito visitado e declarado Santuário da Natureza por sua extraordinária beleza e estranha aparência lunar.

O normal é viajar antes do entardecer e ao chegar se paga uma entrada de baixo custo.

O show é espetacular; curiosas formações de pedra e areia, cavernas, afloramentos salinos que se assemelham a esculturas fazem parte do charme do lugar. Quando o sol se põe no oeste, o deserto se pinta de majestosas cores. Depois permanece sua fria imanência. É extraordinário em noites de lua cheia.

Gêiseres do Tatio

Um dos lugares que provoca maior assombro. É o mais numeroso grupo de gêiseres do hemisfério sul. Está localizado a 95 quilômetros de San Pedro, a 4.000 metros sobre o nível do mar.

O caminho é áspero e há que sair de San Pedro antes do amanhecer. Porém, vale a pena o sacrifício. Ao nascer do sol, grandes jorros de vapor de 6 m a 8 m brotam da terra. São as emanações de um rio subterrâneo que nasce no vulcão El Tatio.

Uma sugestão é visitar a zona entre as 5h e 7 h da manhã, quando a intensidade dos jorros é muito mais forte e podem alcançar alturas de 10 metros ou mais. Além disso, no setor existem poços termais para um reparador banho na metade do dia.

IMPORTANTE

1. Levar roupa agasalhadora, já que os amanheceres são frios (0°C ou menos). Mas também short ou roupa de banho porque de dia as temperaturas superam os 20° C.
2. Não se aproximar dos jorros. Pode ser perigoso pela fragilidade das beiradas das crateras.
3. Levar protetor solar de fator alto e óculos de sol.
4. Organizar a viagem com alguma agência local, já que o caminho é duro, cheio de curvas e se requer carros de tração dupla. Para observar melhor o espetáculo se sugere ir de noite.

Salar do Atacama

O Salar do Atacama está a 55 quilômetros ao sul de San Pedro e o acesso é por um caminho que permite observar a impressionante beleza dos vulcões Lascar e Licancabur. Na rota, primeiro deixa-se para trás o povoado Toconao e finalmente chega-se à Laguna Chaxa.

O enorme campo salgado mede 100 km de comprimento e 80 km de largura. É o terceiro maior salar do mundo, depois do Uyuni na Bolívia e do Grande Lago Salgado de Utah, nos Estados Unidos.

O Salar do Atacama se caracteriza por seu ar limpo e seco que permite ver o outro extremo do salar a mais 70 quilômetros. Sob o campo de sal oculta-se um lago que aflora em pequenas lagunas; a mais visitada é Chaxa, que forma parte da Reserva Nacional Os Flamingos. Admiráveis são as aves, guallatas, gaivotas andinas, chorlo de la puna, colegiales e flamingos.

Toconao

Um típico povoado colonial a 39 km de San Pedro. É famoso por seu artesanato de pedra liparita de origem vulcânica. A torre do campanário da igreja foi construída com o mesmo material. Ao redor de Toconao está a Quebrada de Jerez, cuja característica são seus peculiares petróglifos. Neste vilarejo há um restaurante e uma casa de alojamento do lado da praça de armas. Por suas ruas se podem ver lhamas e vicunhas dividindo o espaço com as crianças e os jovens.

Termas de Puritama

Estão no meio do deserto, a mais de 3.500 m de altitude e a 30 km ao norte de San Pedro, num cânion montanhoso de impressionante beleza ao que se pode chegar por um caminho íngreme que exige veículos de tração dupla.

Existem várias piscinas ao ar livre, com quedas de água e capim-dos-pampas gigantes, detalhe que proporciona privacidade a cada uma delas. Uma passarela de madeira permite o acesso; todas possuem banheiros e vestiários.

As águas hipotermais e sulfatadas têm uma temperatura de 25°C a 33°C e possuem propriedades curativas. Durante séculos foram privilégio dos habitantes do lugar, até que foram abertas ao público e redesenhadas pelo mesmo arquiteto do Hotel Explora. As Termas de Puritama conservam sua pureza e charme originais.

 Pucará de Quitor

Está a somente 3 km ao norte de San Pedro. Trata-se de uma antiga construção pré-incaica do século XII. Declarada Monumento Nacional em 1982, oito séculos antes era uma fortaleza do povo kunza. Está construído em um morro íngreme com pedras que desafiam a gravidade. Possui uma parede defensiva que resultou inútil perante o invasor espanhol, quem submeteu os defensores e ordenou decapitar todos os caciques da zona. As ruínas se encontram em um canto da quebrada, por cujo leito fluem as águas do rio San Pedro ou rio Grande.

Cordillera de la Sal e Valle de La Muerte

As rochas dessa formação da cordilheira têm uma grande quantidade de sulfato de cálcio e, a primeira vista, parecem salpicadas de sal. Este marco geográfico aparece repentinamente no caminho que une Calama a San Pedro.

Milhões de anos atrás a cordilheira foi o fundo de um lago e originou-se por movimentos da crosta terrestre. As chuvas, o vento e o forte sol do deserto desenharam sua forma final, tal como se fossem esculturas que impressionam o visitante.

No caminho a San Pedro está o Valle de La Muerte (Vale da Morte). Ao amanhecer ou ao entardecer, o panorama é incomparável.