Quebra institucional

Vulneração dos direitos humanos e decolagem econômica marcam a era Pinochet após a derrocada de Allende.

viernes, 23 de julio de 2010  
Primera Junta Militar La Junta Militar: César Mendoza, José Toribio Merino, Augusto Pinochet y Gustavo Leigh. (Photo: El Mercurio)

Em 11 de setembro de 1973, uma ação coordenada de militares terminou violentamente com a administração do Presidente Salvador Allende, que se suicidou no edifício do governo, que posteriormente seria bombardeado por aviões de guerra.

Sob a direção do comandante em chefe do Exército, Augusto Pinochet, ao redor de 3.000 pessoas foram executadas ou desapareceram e outras milhares tiveram que partir ao exílio. O novo regime decretou o fechamento do parlamento e dos partidos políticos, assim como a intervenção em organismos de toda índole.

Na área econômica, se adotou um modelo de livre mercado, que significou a redução do gasto social, a privatização de empresas e a promoção das exportações. Desde 1976, o país mostrou expansão, mas a crise econômica mundial o golpeou severamente seis anos mais tarde.

Depois de abandonar o tipo de câmbio fixo, o produto interno caiu 15%. Um de cada quatro chilenos em idade de trabalhar perdeu seu emprego e a pobreza se expandiu a mais de um terço da população.

Manifestações e plebiscito

Na metade dos 80, a insatisfação pela difícil situação econômica se refletiu em violentos protestos nas ruas. E, embora a economia estivesse se encaminhando para se tornar um modelo de estudo, a ditadura de Pinochet estava debilitada politicamente.

Entre outras disposições, a constituição política impulsionada pelo regime militar em 1980 estabeleceu sua permanência no poder até 1988. Finalizado dito período, a cidadania seria consultada sobre a continuidade do governante por mais oito anos, através de um plebiscito.

O “NO” (não) a Pinochet obteve a maioria após 56% dos chilenos optarem por restaurar a democracia. Graças a isto, um ano mais tarde, foram realizadas eleições livres.

Nelas, triunfou Patricio Aylwin, ao mando de uma coalizão política que reunia os partidos Socialista, Radical, Por La Democracia (de tendência social-democrática) e Democrata Cristão.

img_banner