Esportes

O esporte no Chile

O clima, a diversidade geográfica e a infraestrutura fazem do país um lugar ideal para praticar todas as disciplinas.

viernes, 23 de julio de 2010  
Selección Nacional de Fútbol Selección Nacional de Fútbol (Photo:El Mercurio)

- Conquistas esportivas
- Infraestrutura esportiva

O futebol é o mais popular, o tênis provoca as maiores alegrias e o rodeio - que resgata as tradições do campo chileno - é o esporte oficial desde 1962. Este último é praticado em uma área circular, chamada medialuna. Dois vaqueiros a cavalo, ou huasos (nome local), devem deter a corrida de um novilho. Embora não receba muita atenção da mídia, essa atividade convoca milhares de pessoas, especialmente em áreas rurais ou campestres.

Há várias disciplinas nas quais o país tem obtido importantes conquistas esportivas. O tenista Marcelo Ríos, conhecido como “Chino”, foi número 1 do ranking ATP em 1998. Fernando González, constantemente se posiciona entre os 10 primeiros, e Nicolás Massú ganharam medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de Atenas 2004. Os jogadores de futebol Iván Zamorano e Marcelo Salas triunfaram no Real Madrid e na Juventus, respectivamente.

Os torcedores acompanham com paixão as competições em que participam seus ídolos esportivos. Em um continente onde o futebol é rei, a seleção chilena foi a que conseguiu levar mais público quando jogou em casa, nas classificatórias para Alemanha 2006, inclusive mais do que o Brasil e a Argentina, países que ganharam campeonatos mundiais.

O Chile possui fama de organizador impecável de torneios internacionais em diferentes disciplinas. O futebol é o melhor exemplo com a Copa do Mundo de 62, com o juvenil de 1987 e o feminino sub 20 em 2008. Em 2014, o país será a sede dos jogos sul-americanos, e para que tenha sucesso, as autoridades se comprometeram em dar todo o apoio necessário, seja financeiro ou de qualquer outra índole. Por enquanto, já está em marcha a segunda etapa da Rede de Estádios Bicentenario, que considera a construção e a melhoria de recintos esportivos.

Um pouco de história

A prática do esporte no Chile se remonta aos jogos populares conhecidos com os nomes de chueca e linao. São jogos habituais dos povos mapuche e Huilliche parecidos ao hóquei e ao rúgbi respectivamente. O rodeio começou a ser praticado durante a colonização. Atualmente é um esporte nacional e é a principal atividade recreativa na zona central do país, especialmente nos setores rurais.

Nos primeiros jogos olímpicos da época moderna realizados em Atenas 1896, participaram 13 países e o Chile foi o único representante da América Latina. Nessa competição, o atleta Luis Subercaseaux participou em 100, 400 e 800 metros, segundo os registros do Comitê Olímpico do Chile (Coch).

Já em 2004, com o retorno das Olimpíadas à capital grega, o tenista Nicolas Massú ganhou a medalha de ouro na competição individual. Obteve o mesmo prêmio em duplas junto com Fernando González, reconhecido pela imprensa especializada como o mais destacado esportista chileno desde 2006.

A paixão pelo futebol

A tradição do futebol no Chile começou com os imigrantes ingleses há mais de um século, na cidade portuária de Valparaíso. O time da primeira divisão, Everton foi precisamente fundado por britânicos há mais de 100 anos, fenômeno que ocorreu também em outros países da América Latina. A Copa do Mundo de 1962 no Chile massificou a paixão por este esporte e o transformou no mais popular.

A seleção chilena de futebol é conhecida como a roja (vermelha). Os melhores resultados da equipe nacional são terceiros lugares na Copa de 1962, no sub-17 de 1993 jogado no Japão e no Sub-20 disputado no Canadá em 2007. Também ganharam a medalha de bronze em Sydney 2000.

Um novo diretor técnico, o experiente argentino Marcelo Bielsa, deu um novo ar ao futebol local. A seleção mostrou um grande rendimento nos jogos classificatórios para a África do Sul 2010. Não há nenhuma outra seleção que tenha o mesmo apoio de seus torcedores no mundo com uma média de público de 60 mil pessoas por jogo. De acordo com as estatísticas da FIFA em agosto de 2009, a roja estava em 26° posição dentre as 203 nações associadas.

Entre os clubes da liga nacional, os mais populares são Colo Colo e Universidad de Chile. O time que leva o nome de um legendário líder mapuche em 1991 foi coroado campeão da Copa Libertadores da América, o principal torneio para os clubes do continente.

Sobre os jogadores, os mais importantes nas últimas décadas foram o defesa Elias Figueroa e os goleadores Iván Zamorano e Marcelo Salas. Além disso, os dois primeiros foram destacados pela FIFA entre os melhores 100 do século XX. No entanto, Salas é o goleador histórico da seleção nacional.

Glórias no tênis

O tênis é o esporte que tem dado as maiores alegrias aos chilenos. Em 1998, Marcelo Ríos foi o número 1 do mundo no ranking ATP, um feito não superado por nenhum outro jogador da América Latina até o momento. O “Chino” ganhou 18 títulos e disputou outras 13 finais no circuito profissional entre 1995 e 2001. Depois dele estão os medalhistas olímpicos Fernando González e Nicolás Massú, com 11 e seis coroas respectivamente.

O protagonismo dos jogadores chilenos já está na história. Em 1937, Anita Lizana venceu o torneio de Forest Hills, antecessor do U. S. Open; em 1958 e 1960, Luis Ayala foi finalista em Roland Garros; em 1976 a equipe chilena da Copa Davis, composta por Patricio Cornejo, Jaime Fillol e Belus Prajoux, jogou a final desse torneio ante o representante da Itália; em 2003 e 2004, o Chile obteve a World Team Cup disputada em Düsseldorf.

A prática do esporte

No Chile a atividade física é habitual. Nos fins de semana, milhares de pessoas praticam diferentes esportes, jogging ou saem de bicicleta pelos parques e praças, ou frequentam os centros de esqui. O clima diversificado, as áreas de natureza privilegiada e as instalações públicas e privadas, tornam o país um lugar de incentivo à atividade física.

Não existem limites nessa escolha. Futebol, tênis, rúgbi, esqui, natação ou golfe. Esportes extremos no ar, na montanha ou na água podem se desenvolver sem impedimentos.

Cada região do país oferece as condições ideais para diferentes atividades esportivas. No norte podem se desenvolver esportes de montanha e escalada de vulcões, como o Ojos del Salado, considerado o maior do mundo com 6891 metros acima do nível do mar, além de sandboard, parapente e trekking. No litoral, há ondas perfeitas para o surf, como comprovaram os maiores nomes deste esporte quando disputaram um dos eventos do mundial, em Arica.

No inverno, a zona central oferece as melhores pistas de esqui e snowboard do continente. Valle Nevado, Portillo e El Colorado são alguns dos centros que recebem turistas e, também são os escolhidos para treinar equipes de esqui da Europa, dos EUA e do Canadá.

O Oceano Pacífico, as represas, os rios, lagos e lagoas das áreas central e sul convidam à prática de esportes náuticos. Um dos exemplos é a descida de rafting ou caiaque  por águas caudalosas, especialmente no rio Futaleufú, um dos mais desafiadores do planeta. Outra atividade altamente valorizada pelos visitantes de todos os rincões do planeta é a pesca com mosca.

 

img_banner