Infraestrutura esportiva

Desde 2007, as autoridades têm feito os maiores esforços da história local para mais e melhores cenários, criando o programa Rede de Estádios para o Bicentenário.

viernes, 23 de julio de 2010  
Estadio Estadio (Photo:Chiledeportes)

Em 2007, o governo começou a implantar o programa Rede de Estádios para o Bicentenário, reunindo os melhores esforços da história local para criar mais e melhores infraestruturas esportivas.

Para a Copa do Mundo de futebol feminino sub 20 nas cidades de Coquimbo, Santiago, Temuco e Chillan foram reformadas arenas esportivas de multiuso, com um investimento de cerca de $95 milhões de dólares. A primeira fase do plano de construção permitiu edificar o Centro Nacional de Treinamento Olímpico, com 18 mil metros quadrados de instalações para 10 disciplinas.

A segunda parte inclui $86 milhões de dólares e visa melhorar os estádios de Arica, Copiapó, Coquimbo, Rancagua, Quillota, Curicó, Talca e Puerto Montt. Na cidade austral de Punta Arenas, será construído um centro de motricidade infantil. No restante do território chileno serão construídos centros poliesportivos abertos a todo o público e se projeta um outro complexo especial para atletas de elite.

O principal centro esportivo do Chile é o Estádio Nacional Julio Martinez Prádanos, em Santiago, com 62 hectares (153 acres). Suas instalações incluem um estádio olímpico com capacidade para 66 mil pessoas, uma quadra de tênis para sete mil espectadores, um velódromo para 7.500 pessoas e uma pista de atletismo com 5.500 assentos, em uma área com capacidade para 30 mil assistentes, para a realização de shows musicais.

Em junho de 2009, a presidente Michelle Bachelet  anunciou a remodelação do Estádio Nacional, que também implicará a cobertura do campo e custará $ 34 milhões de dólares.

Anfitriões e organizadores

A partir da Copa do Mundo em 1962, o Chile fortaleceu o seu prestígio como anfitrião e organizador de torneios esportivos internacionais.

Recentemente junto com a Argentina, o país foi confirmado por segundo ano consecutivo, para a disputa do Dakar 2010, a prova mais exigente de rally raid.

A Copa do Mundo Feminino Sub 20 realizada em 2008 nos novos estádios de Coquimbo, Santiago, Chillán e Temuco foi um grande sucesso. Seleções de 16 países competiram pelo título que, finalmente, acabou ficando para os Estados Unidos.

Desde 1993, a primeira das quatro etapas do circuito latino-americano de tênis ATP World Tour é jogada no Chile. Até 1999, foi disputada em Santiago e desde 2001 tem sido realizada em Viña del Mar. Para 2010 já foi confirmada uma nova edição do torneio.

O Campeonato do Mundo de Motocross MX3 foi realizado nos arredores de Santiago em 2008 e em maio de 2009, a única etapa que ocorre fora da Europa. Em sua primeira edição atraiu mais de 30 mil pessoas.

O Chile está entre os países de reunião habitual para a prática do triatlon. A ITU Pan American Cup e o Campeonato do Mundo de 70,3 WTC (Corporação mundial de triatlo, segundo suas siglas em inglês) disputam etapas nas estâncias de Viña del Mar e Pucón, durante o verão do hemisfério sul.

Os profissionais e amadores do surf viajam a Arica para fazer parte do ISA World Masters Surfing Championship.

A febre esportiva chega até as paisagens do extremo sul do país. Desde 2004, é realizada a Wenger Patagonian Expedition Race, uma competição na qual equipes de todo o mundo devem alcançar a Cruz dos Mares do Fim do Mundo combinando caminhada, vela e ciclismo.

Na segunda década do século XXI o Chile será organizador e anfitrião de novos torneios internacionais. O país já está trabalhando para os Jogos Odesur 2014 e está concorrendo para ser o anfitrião do mundial feminino adulto em 2015 e da Copa América de futebol.

img_banner