Chicha e Pisco

“Empinar el codo” é um ditado e um exercício de brindar com uma taça de vinho, um copo de chicha ou um pisco sour.

martes, 27 de julio de 2010  
Pisco Sour Pisco Sour (Photo:Placeres)

Além do vinho, a uva é a origem de outras bebidas alcoólicas tradicionais no Chile. Talvez a mais popular seja a chicha, suco de uva fermentado, de origem mapuche e também preparada com suco de maçã fermentado. Na parada militar das comemorações das festas pátrias é tradicional que o Presidente da República beba chicha em corno, um chifre de touro como um copo, oferecido por um representante dos huasos, os homens do campo chileno.

Da uva também se produz pisco, um tipo de aguardente típica dos vales do norte. O mais famoso é o do Valle del Elqui, onde se pode visitar várias destilarias de pisco. Esta é a zona da poetisa Gabriela Mistral e dos céus mais limpos do país.

O solo, o clima quente e seco, com altos contrastes de temperatura, e as águas do rio Elqui são condições propícias para o desenvolvimento de diferentes tipos de uvas da variedade moscatel, destilado do qual resulta o pisco, com todas as suas graduações. Eles vêm em 30°, 35°, 40° e 43° graus, a partir do pisco comum até o de boa qualidade. Algumas uvas moscatel são as de Alexandria, as rosa, as preta e as branca colhidas mais cedo. O pisco pode ser bebido puro ou misturado com um refrigerante para preparar a popular piscola e nos aperitivos é uma obrigação o pisco sour, preparado com pisco e suco de limão.

Também, é típico das reuniões de cantoria e violão o vinho navegado, vinho quente misturado com laranja. O vinho com frutas, se pode chamá-lo de borgonha ou ponche. Também produz a aguardente, bebida alcoólica destilada de 50 graus, com a qual se prepara a cola de mono, misturando-o com leite e canela, típico das festas de Natal e Ano Novo.

Esta aguardente quando misturada com leite, é a base do licor de ouro, denominado assim por sua cor, característica da Região de Los Lagos, no sul.