Filmes clássicos chilenos

Entre as obras mais destacadas da sétima arte nacional estão presentes todos os temas. Muitos dos quais também receberam reconhecimento internacional.

miércoles, 28 de julio de 2010  
El Chocotero Sentimental El Chocotero Sentimental (Photo:Dibam)

Largo viaje, Patricio Kaulen (1967). Uma criança percorre Santiago buscando as asas de um anjo, isto é, de um pequeno morto vestido de querubim em um velório popular.

Tres tristes tigres, Raul Ruiz (1968). Baseado na peça de teatro de Alejandro Sieveking é o primeiro longametragem deste cineasta de renome internacional. Mostra a sordidez da marginalidade urbana e da boemia alcoólica. 

Valparaiso, mi amor, Aldo Francia (1969). Com os cerros de Valparaiso como fundo, a pobreza é representada na prisão de um pai que rouba por seus filhos e no destino destas crianças.

El chacal de Nahueltoro, Miguel Littin (1970). Baseado em uma história verídica, o filme conta a história de um camponês analfabeto e bêbado que assassina sua esposa e suas filhas. Ele foi condenado à morte. Na prisão aprende a ler e a escrever antes de ser fuzilado. 

Julio começa em julho, Silvio Caiozzi (1979), um fazendeiro –conservador e rico- por ocasião do 15° aniversário do filho adolescente convida uma prostituta para a festa onde deverá iniciá-lo sexualmente, o tiro sai pela culatra e ele se apaixona.

A fronteira, Ricardo Larrain (1991). Sob a ditadura, um professor de matemática é relegado para o sul do Chile. A cidade, uma aldeia de pescadores, acolhe o protagonista e este se integra à comunidade, trabalhando com eles e se apaixona pela bibliotecária.

El chacotero sentimental, Cristián Galaz (1999). A abertura principalmente verbal, da transição do Chile para a democracia. O Rumpy, um locutor jovem e assertivo dialoga com seus auditores anônimos sobre sexo, motivando episódios picarescos do filme.

Taxi para tres, Orlando Lübbert (2001). Um endividado motorista de táxi é sequestrado por dois bandidos tontos, que o envolvem em suas malfeitorias. A ação ocorre nos bairros pobres de Santiago, um descontrolado uso da fala casual do Chile.

Meu Melhor Inimigo, Alex Bowen (2005). Na Patagônia, frente uma guerra que parecia iminente entre o Chile e a Argentina, em 1978, duas patrulhas de lados opostos se encontram e confraternizam enquanto ambos os governos militares de cada país decidem o conflito bélico.

Machuca, Andrés Wood (2004). Em um programa especial de uma escola religiosa – de elite e progressista-, um menino de uma família pobre se integra a um de seus cursos, com o cenário da luta de classes durante o governo de Allende e sua derrubada.

img_banner