Folclore e jogos tradicionais

Sempre é preciso ser um pouco criança. Porque a identidade de um povo vive na sua capacidade de jogar e de se divertir.

jueves, 29 de julio de 2010  
Juego Volantín

Na cultura popular chilena o espírito lúdico é essencial e se manifesta desde a infância em adivinhações, trava-línguas, cirandas, canções, giros de linguagem e humor malicioso. Os objetos e as atividades de jogos típicos estão intimamente ligados à terra, aos espaços ao ar livre.

A vida na cidade, a cultura audiovisual e o acesso às novas tecnologias abrem uma distância entre a tradição e a globalização, mas crianças e adultos retornam a esse espírito lúdico especialmente nas festas que comemoram a independência do país.

A família empina uma pipa ou papagaio, o maior é chamado de pavo, o menor e mais popular, ñecla (telequinho) e o improvisado cambucha. Também se joga bolinha de gude e emboque ou balero (bilboquê).

O emboque (bilboquê) é de madeira, em forma de sino e com um buraco no centro, uma fina corda une o sino a um pequeno pau ou barra, e o jogo consiste em encaixar o pauzinho no buraco do sino. Em forma de cone e com uma ponta de ferro no centro, o trompo (pião) é talvez o jogo tradicional mais conhecido.

Com uma corda se envolve o pião e o lança ao solo para que gire ou dance na pua. Na fala comum, é frequente qualificar um bom dançarino com a expressão “dança como um pião”. Também se joga rayuela ou lança o tejo (espécie de pedra), que são atirados em direção a uma corda esticada no centro de um retângulo de barro, os tejos mais próximos da corda definem o vencedor e se um tejo cai em cima da corda a pontuação é o dobro porque é uma quemada (queimada).