Bairros, as diferentes faces de Santiago

A essência de Santiago está nos seus bairros. Cada um com identidade, arquitetura e história próprias.

jueves, 29 de julio de 2010  
Barrio Lastarria Barrio Lastarria (Photo:Revista Placeres)

Santiago Centro

Auxiliares de escritório, executivos, turistas, comerciantes, pastores evangélicos, vagabundos, empresários, tribos urbanas e engraxates se congregam todos os dias no centro de Santiago. É o pulsar da cidade em toda sua expressão. Para senti-lo, deve-se caminhar pelo calçadão Ahumada até a Praça de Armas. Em um dos lados da praça se encontra a Catedral Metropolitana de Santiago, cuja construção terminou em 1775. Na parte oriental se encontra o Correio Central, a Municipalidade de Santiago e o Museu Histórico Nacional que está localizado no prédio que antes utilizava a Real Audiência. Também há alguns locais comerciais ao redor, o mais famoso é o Portal Fernández Concha, construído em 1869. Todos os dias se reúnem pintores e retratistas, amantes do xadrez ao redor de múltiplos tabuleiros, além de diversos espetáculos de arte popular.

O Museu Chileno de Arte Pré-Colombiana guarda uma das melhores amostras da época pré-hispânica do país. Ao visitar o centro, o morro Santa Lucía também deve ser considerado. É ideal subir por suas escadarias senhoriais que enfrentam a Biblioteca Nacional até os terraços que oferecem incríveis vistas panorâmicas da cidade, e conhecer seus bem cuidados parques e praças interiores.

O bairro cívico, que reúne escritórios públicos e do governo, tem como eixo principal o Palacio de La Moneda. Na Plaza de la Constitución, junto a La Moneda, encontram-se monumentos em homenagem aos presidentes Jorge Alessandri, Eduardo Frei e Salvador Allende. Uma atração especial é a cerimônia da troca de guarda do palácio de La Moneda realizada por carabineros (policiais uniformizados) a cada dois dias, às 10 da manhã.

Outro passeio recomendado é cruzar pelo interior da sede governamental La Moneda. Contíguo ao prédio e sob a superfície se encontra o Centro Cultural Palacio de La Moneda, com interessantes mostras culturais, cinema e restaurantes.

No centro da cidade, a oferta gastronômica é ampla e variada. Quem quiser provar os mariscos e outros produtos do mar deve ir ao Mercado Central. Muito perto se encontra a estação Mapocho, hoje transformada num importante centro cultural cuja arquitetura se destaca devido às cúpulas de cobre.

Bellavista

Este bairro está localizado nas imediações do morro San Cristóbal e trata-se de um verdadeiro museu ao ar livre. Seu passado aristocrático é revelado pela arquitetura de antigas casas, algumas delas são verdadeiros palácios pequenos. Ali se encontra uma das casas do poeta Pablo Neruda, que ele mesmo batizou como La Chascona.

O setor é famoso por suas jóias de lapislázuli, galerias de arte, salas de teatro e artesanato. É um mundo que convida o turista a conhecer e desfrutar de suas ruas principais: Bellavista, Constitución, Mallinkrodt, Dardignac, Pío Nono e Purísima, nas quais existe uma variada oferta de restaurantes. Também há pubs, bares tradicionais – como o Venezia – e discotecas onde os boêmios dançam até o amanhecer.

Praça Ñuñoa

Bairro residencial, com construções da metade do século XX e, tipicamente, da classe média da população. De noite possui uma intensa vida boêmia que se concentra em torno à praça. Alguns dos lugares mais clássicos são La Batuta, El Dante, Las Lanzas e La Tecla.
Do lado da praça se encontra o Teatro da Universidade Católica. A umas poucas quadras, está o Clube de Jazz de Santiago e o Teatro Municipal de Ñuñoa.

El Golf

Este é o bairro yuppie de Santiago, um triângulo que muitas pessoas chamam de Sanhattan, com um pouco de humor. De limites imprecisos, poderia se dizer que delimita com as avenidas Apoquindo e Andrés Bello. A artéria principal desta zona é Isidora Goyenechea, uma rua de lojas, bares, restaurantes, livrarias e boutiques.

Alonso de Córdova

É uma das avenidas mais elegantes da cidade, onde se congregam exclusivas lojas de moda, restaurantes e galerias de arte. Orientada preferentemente ao desenho e à decoração, concentra uma grande variedade de ateliês locais, como os objetos de decoração de Marie Sophie d’Epeneoux.

Aqui a oferta de arte é muito variada e inclui as melhores galerias nacionais. Entre outras, Patricia Ready, Animal, Isabel Aninat e AMS Marlborough.

Matucana

A Estación Central é o principal terminal ferroviário de Santiago e marca o nascimento desta zona, localizada a oeste do centro. A rua Matucana é um setor em plena transformação, com um importante perfil cultural. Ali se encontram a moderna Biblioteca de Santiago e Matucana 100, centro cultural com ênfase na atividade teatral.

A poucos metros está a Quinta Normal, um parque de 39 hectares de jardins que, originalmente, foram utilizados como viveiro experimental com exóticas árvores trazidas de todas as partes do mundo. Além disso, possui uma lagoa e guarda duas importantes instituições: o Museu Nacional de História Natural e o Museu Artequín, instalado num enigmático castelo de ferro confeccionado em 1889, por motivo da Exposição Universal de Paris.

Providencia

Um setor tradicional que mistura zonas residenciais de vida acomodada com ruas de ativa vida comercial. A vida noturna se concentra em ruas como Suecia, Santa Isabel e Manuel Montt. Junto ao rio Mapocho é possível visitar o Parque de las Esculturas, onde todos os verões se realiza o Festival de Jazz de Providencia, e o Café Literário com biblioteca de livros, jornais e revistas.

Brasil

Bairro escolhido por famílias endinheiradas a meados do século XX. Algumas de suas edificações coloniais, neogóticas e neoclássicas conservam-se em perfeito estado. O melhor exemplo é a rua Concha y Toro, uma espécie de oásis arquitetônico que vale a pena visitar.

Tudo gira em torno da praça Brasil. Jovens e artistas se trasladaram ao setor e moram em lofts e casas restauradas. Restaurantes que oferecem comida internacional, bares e livrarias são parte do cardápio. As crianças podem desfrutar dos coloridos brinquedos da praça, obra da artista Federica Matta, filha do famoso pintor chileno Roberto Matta.

Uma parte desta vida cultural se reúne em torno ao Galpão Víctor Jara, espaço criado por Joan Jara, viúva do cantor e compositor. No lugar, músicos de renome se misturam com bandas emergentes e independentes.

Lastarria

Possui um rico patrimônio arquitetônico e é uma mistura de estilos tão diferentes como o colonial, o Art Nouveau e o neoclássico. Também existem lojas de jovens designers e restaurantes de comida internacional. Não muito longe dali está o belo Parque Forestal.

O núcleo mais importante está localizado na Praça Mulato Gil, um pequeno conjunto de casas antigas que conformam um centro cultural e artístico. Ali se encontra o Museu Arqueológico de Santiago e o Museu de Artes Visuais, junto com uma série de lojas de artesanato.

Perto dali se encontram o Centro Cultural Lastarria e o Centro de Extensão da Universidade Católica, opções de singular valor.

img_banner