O céu do universo

Astronomia no Chile

A privilegiada nitidez de sua atmosfera torna o Chile um centro incomparável de observação.

jueves, 29 de julio de 2010  
Vía Lactea Alma Vía Lactea (Photo: Alma)

No norte do Chile, o céu é limpo e seco durante mais de 300 noites por ano. Nas alturas e planícies as precipitações são raras exceções.

Em poucas palavras, possui as condições ideais para o maior projeto astronômico do mundo, Grande Conjunto de Radiotelescópios do Atacama (ALMA, na sigla em inglês), que brevemente entrará em funcionamento, resultado do esforço conjunto da Europa, dos Estados Unidos e do Japão.

Estas características naturais, ótimas para a astronomia, durante a última década motivaram o investimento de bilhões de dólares das mais importantes agências internacionais de observação e a chegada de recursos humanos e técnicos, a fim de descobrir a origem do cosmos.

O Chile também contribui com uma geração de cientistas formados no país e que aprofundaram os seus conhecimentos no exterior. Todos eles colaboram na formação de novos alunos e realizam suas próprias pesquisas, em virtude da moderna tecnologia instalada na zona norte e da oportunidade de empregar 10% do tempo de observação.

É igualmente valiosa a contribuição do Estado. O apoio financeiro e logístico coincide com o interesse crescente de chilenos e estrangeiros pelo turismo astronômico e o ativo papel do país na comemoração com o Ano Internacional da Astronomia 2009.

img_banner