Apoio institucional à astronomia

No país também existem uma série de programas estatais para fomentar o desenvolvimento desta área.

jueves, 29 de julio de 2010  
Proyecto Gemini Proyecto Gemini (Photo:NAO)

A partir da metade dos anos 90, a Comissão Nacional de Investigação Científica e Tecnológica, Conicyt, assumiu um papel fundamental no desenvolvimento da astronomia no Chile. Assinou um acordo que permitiu a realização do projeto Gemini, com telescópios de oito metros localizados no Chile e no Havaí.

No ano 2000, se acordou a cessão do tempo excedente nos telescópios Gemini, consórcio que contribuiu com 9,3 milhões de dólares para a criação de um fundo fiduciário a favor do Programa de Desarrollo Nacional de la Astronomía Chilena y Ciencias Afines, administrado por Conicyt.

Esta entidade governamental criou em 2006 o Programa de Astronomia, com o objetivo de apoiar de uma forma mais eficaz o desenvolvimento da astronomia local.

Seus objetivos são os seguintes:
- aumentar o número de astrônomos trabalhando nos temas mais avançados;
- administrar o tempo de observação chileno nos telescópios;
- apoiar financeiramente ações de excelência na astronomia nacional e ciências afins;
- contribuir para proteger as condições de observação astronômicas;
- coordenar os projetos existentes na área de Chajnantor e Atacama;
- desenvolver um parque astronômico nesta zona do país, para permitir a chegada de novos projetos ao Chile.

No Chile também foi criado uma entidade pública e privada chamada Oficina de Protección de la Calidad del Cielo del Norte de Chile, Opcc, para evitar a contaminação de luz e cuja tarefa é apoiar a norma de emissão e assessorar a instalação de sistemas de iluminação de exteriores.

A Opcc opera para as regiões de Antofagasta, Atacama e Coquimbo, declaradas patrimônio ambiental e reconhecida como o melhor existente no hemisfério sul para a observação astronômica.

Como um exemplo de sua gestão, no ano 2008, a região de Coquimbo determinou substituir 12 mil luminárias da iluminação pública em 11 de suas comunas, com o fim de evitar a contaminação de luz para os observatórios astronômicos do Valle del Elqui, em uma iniciativa que custou aproximadamente meio milhão de dólares de investimento.

img_banner