Temuco, fragrância a madeira e a raízes

A úmida fragrância do sul é também de madeira, poesia, cultura original e modernidade.

viernes, 30 de julio de 2010  
Mercado de Temuco Mercado de Temuco (Photo:Turismo Chile)

Dentre as cidades mais povoadas do país, Temuco é a mais nova. Encontra-se a 677 km de Santiago. Foi fundada em 1881 após um longo e difícil processo para fazer um acordo com o povo mapuche, habitante ancestral desses territórios. A partir de então se viveu um rápido crescimento, fortalecido por colonos europeus, especialmente alemães como Teodoro Schmidt, quem traçou o plano urbano da pujante cidade.

As raízes mapuche, germanas e chilenas se manifestam intensamente todos os dias. Especialmente as do povo originário, que ainda costuma reclamar seu direito sobre algumas terras da região da Araucanía. O turista pode visitar museus, admirar a ourivesaria em prata mapuche, comer em restaurantes que reproduzem o mais tipicamente alemão ou provar a gastronomia crioula temperada com merkén, pimenta dos mapuche; e também conhecer as modernas zonas residenciais da cidade, os shoppings e as choperias, com evidente influência germana.

Temuco é a cidade da chuva. Não é a mais chuvosa do país, mas a poesia de Neruda, que morou ali sua infância, contribuiu para criar essa imagem. Temuco também é a cidade dos tetos de zinco, para que neles a chuva cante. E das chaminés que empapam tudo com cheiro de madeira queimada. Porém, o verão reserva temperaturas amenas que incentivam a visitar os lagos que estão próximos, como o Villarrica ou Puerto Saavedra, na costa do oceano Pacífico.

Atrações da cidade

Morro Ñielol
: Está a cinco minutos do centro da cidade. É um Monumento Nacional de 90 hectares de vegetação, com 60% de espécies nativas dentre as que se destaca o copigue, a flor nacional. A seus pés foi assinado o documento de Paz entre mapuche e chilenos em 1881. Constitui um ótimo passeio e oferece cinco trilhas para caminhadas, áreas de piquenique e espetaculares mirantes à cidade. Para os mais ativos há canopy.

Mercado: Ocupa praticamente um quarteirão do centro da cidade e está dividido em três setores; artesanato, restaurantes e venda de comestíveis. É uma espécie de microcosmos da região. Ali há de tudo, é o lugar preferido dos visitantes que procuram tecidos mapuche, brincos de prata, instrumentos musicais e enfeites variados. Recomenda-se visitar os restaurantes e saborear os pratos tradicionais, especialmente o famoso restaurante Criollito.

Museu Regional: Está localizado na antiga casa de Carlos Thiers, declarada monumento nacional em 1997. Foi escolhida para preservar parte da cultura regional em 1940. Há mostras arqueológicas, etnográficas, pictóricas, fotográficas e históricas de 1400 a 1800, com mais de 3.000 objetos exibidos. Um dos patrimônios mais destacado é a coleção de têxteis e jóias mapuche que datam do século XIX.

Casa da Mulher Mapuche: Este lugar oferece uma completa mostra de artesanato de lã mapuche da região. Aqui se fomenta a produção e comercialização de artesanato têxtil, olaria e ourivesaria. Conserva as técnicas originais transmitidas durante gerações e que formam parte do patrimônio mapuche. Há vestidos, saias, echarpes e ruanas (mantas), tecidos feitos em tear e tingidos naturalmente. Também há ponchos tricotados com lã natural de ovelha.

Atrações próximas

Carahue
: A 56 km a oeste de Temuco. Este é um povoado que parece ter três andares, segundo se observe desde a ponte pênsil sobre o rio Imperial. O certo é que a sua origem se remonta a 1552, quando o conquistador Pedro de Valdivia se aventurou para o sul procurando ouro e riquezas, mas somente em 1882 foi possível refundar a cidade. Hoje possui o melhor mercado de batatas do país e espera o visitante em seu Museu da Idade do vapor, com 40 locomóveis, espécie de locomotiva de arrasto do começo do século XX.

Puerto Saavedra e Ilha Budi: A 87 km a oeste de Temuco, Puerto, como é chamado na região, é o principal balneário costeiro da zona. É habitado por 14 mil pessoas que trabalham diretamente na pesca e no turismo. Suas principais praias são Maule, Los Pinos e Boca Budi. Existem ótimos hotéis. Da mesma forma são seus pratos de mariscos recém tirados do mar.

O lago Budi possui uma história singular. O terremoto de 1960 levantou uma onda tão grande que inundou o lago e deixou suas águas salgadas. No seu interior se encontra a ilha Huapi, península de terra que separa o lago do mar. Huapi é o lar tradicional de várias comunidades mapuche-lafquenches. No seu extremo sul se encontra o Centro Turístico Mapuche Praia Puaucho, um projeto criado por famílias mapuche da comunidade.

Centro de esqui Las Araucarias: O vulcão Llaima, um dos mais ativos do país, embora não destrutivo, acolhe este centro invernal a 82 km a noroeste de Temuco. O espetáculo da cratera jogando lava é uma imagem perfeita para fotografias que qualquer um gostaria de capturar. Localizado entre florestas de araucárias, o centro possui alojamento, cafeteria e, o mais importante, uma dezena de pistas para a prática de esqui.