Valdivia, a cidade dos rios

No rio que cruza Valdivia se banha a lua, diz uma canção popular. Quase 500 anos de história navegam rio acima.

viernes, 30 de julio de 2010  
Valdivia Valdivia (Photo:Sernatur)

A capital da região de Los Ríos foi fundada pelos espanhóis como um forte em 1552. No século XVII os holandeses se apoderaram de Valdivia, mas em pouco tempo foi recuperada e retomou sua localização estratégica tendo o oceano Pacífico a vinte quilômetros aproximadamente. A meados do século XIX começaram a chegar os colonos alemães, impulsionando um desenvolvimento que se viu fortemente ameaçado após o terremoto e maremoto de 1960. Porém, as últimas décadas foram de novos impulsos e projetos.

Esta é uma cidade amável e rodeada de maravilhas naturais únicas no planeta, como o bosque templado valdiviano e lugares como o Parque Oncol. As distâncias são curtas e a arquitetura chama a atenção porque tudo está feito pensando na chuva e no vento, acompanhantes permanentes da geografia local.

Dentre uma diversidade de lugares e atrações por conhecer e experimentar, o visitante deve considerar: as cervejas locais, que comemoram sua própria festa em fevereiro; os crudos no café Haussmann; os passeios pela orla marítima com névoa matinal na hora em que enormes lobos marinhos se instalam para dormir nas plataformas próximas; e navegar pelo rio visitando as ruínas das casas afundadas pelo maremoto de 60. E muito mais.

Atrações da cidade

Universidade Austral
: localizada em Isla Teja, a entrada ao campus da universidade é um enorme parque na margem oeste da cidade. Há trilhas pela margem dos rios Cruces e CauCau, um Jardim Botânico com setores de floresta valdiviana, magallánica, mediterrânea e plantas medicinais. Este lugar é ideal para quem gosta de caminhar.

Torreões: Originalmente um Forte, em Valdivia há dois torreões em pontos extremos da cidade, que permaneceram como vestígios de uma estrutura maior criada em 1774. O Torreão do Barro se encontra perto da rodoviária, em Avenida Picarte com Condell. O Torreão Los Canelos está localizado no que atualmente é a esquina das ruas Yerbas Buenas e Yungay. Naqueles antigos dias, sua dotação era de quatro soldados e um cabo junto a um pequeno morteiro.

Mercado Fluvial: Todos os dias do ano, das 8 h às 15 h se oferecem peixes e mariscos em abundância. As cores e os cheiros deste lugar encantam. Além disso, há oferta de verduras, geléias, ovos de campo e artesanato. É um espetáculo observar como se alimentam a colônia de lobos marinhos que se encontram ao lado do rio.

Museus: Os três que mais se destacam se encontram na exuberante Isla Teja. O Museu Histórico Van de Maele - Monumento Nacional - possui coleções correspondentes ao processo de colonização alemã, à Cultura Mapuche-Hulliche e a períodos arqueológicos pré-hispânicos. O museu Phillipi se encontra numa construção de 1915 e mostra aos visitantes as coleções de Bernardo, Rodulfo e Federico Phillipi, cientistas expedicionários e naturalistas provenientes da Alemanha. O Museu de Arte Contemporânea, MAC, fundado em 1994 por iniciativa do artista visual valdiviano Hernán Miranda e apoiado pela Universidade Austral. Está localizado na ex-Cervejaria Anwandter. Atualmente é um espaço para exposições permanentes com vista ao rio.

Atrações próximas

Navegar a Corral e Mancera: ao visitar Valdivia é quase uma obrigação fazer um passeio pelo rio. O curso principal das naves de passeio se dirige à desembocadura do rio Valdivia. A travessia é de aproximadamente duas horas e meia e, uma vez estando em Corral se sugere visitar o Castelo San Sebastián de La Cruz, construído em 1645, e admirar os numerosos canhões que se encontram no seu interior. No verão há representações históricas no lugar. Além disso, os restaurantes de peixes e mariscos em Corral garantem um grande momento gastronômico.

A ilha Mancera, no entanto, é um centro de veraneio de antigas casas com lindos jardins. A ilha foi declarada Zona Típica e a sua maior atração é o Castelo San Pedro de Alcántara, declarado Monumento Histórico. Durante o verão se realizam festivais culturais e artesanais.

Los Molinos: A 17 km a oeste de Valdivia, é um povoado que encanta por sua praia, pelos morros com vegetação e pelos barcos de pescadores que descansam nas águas da baía. Não obstante, afirma-se que a maior atração do lugar são seus restaurantes de mariscos e peixes que oferecem abundância e preços baixos.

Parque Oncol: São 754 hectares depura mata valdiviana, que possui uma fauna que conta com o Colocolo e a Rhinoderma darwinii, animaizinhos endêmicos do lugar. Do pico do morro, de 715 m de altura se pode observar a cordilheira de Los Andes e seus vulcões, enquanto o oceano Pacífico aparece pelo oeste em toda sua dimensão. É possível pernoitar no lugar e realizar canopy. Também há trilhas para trekking.

img_banner