Castro, palafitas na capital chilota

Arquitetura, pesca e raízes do campo no centro da ilha de Chiloé. A cultura é o orgulho de todos.

viernes, 30 de julio de 2010  
Palafitos Palafitos Foto:Prochile

Entre as colinas que enfrentam o canal de Lemuy se encontra a cidade de Castro, principal centro urbano da ilha de Chiloé. Sua paisagem campestre e conectada com o mar determinou a personalidade dos chilotes. Isto se torna evidente a cada fevereiro durante a grande Fiesta Costumbrista que se realiza na cidade e que mostra sua gastronomia, uma mistura de produtos do mar e da terra.

Esta cidade antiga foi fundada em 1567 por Martín Ruiz Gamboa. Foi feudo de holandeses navegantes que tentaram dominar o sul do Chile para, posteriormente, ser de novo um enclave espanhol. Junto com o século XX chegou o trem, depois as estradas e a febre por visitar e morar em Chiloé.

Todos os verões centenas de mochileiros e turistas se aproximam de Castro. Com bons serviços de hotelaria e alimentação, a capital chilota é, com certeza, uma boa dica. Está a 172 km ao sul de Puerto Montt.

Atrações da cidade

Palafitas
: Parte fundamental da arquitetura chilota são as grandes casas localizadas na margem do rio Gambora e do Canal de Lemuy. A característica mais distintiva são os longos pilotis estabelecidos sobre o fundo marinho e as telhas em sua estrutura. Quando a maré baixa é possível ver estas estruturas e a criatividade chilota para resolver o uso das orlas marítimas. Quando o oceano sobe parece que as casas flutuam.

Museu de Arte Moderna: Existe desde 1988 e é o lugar das mostras independentes de artistas locais e convidados. O desenho de sua estrutura fez com que ganhasse prêmios de arquitetura ao misturar o tradicional chilote com inovadoras linhas. Está localizado no Parque Municipal de Castro e permanece fechado de abril a outubro. Há que ligar para coordenar visitas nessas datas.

Igreja San Francisco: Monumento Nacional desde 1976 e Patrimônio Mundial da Humanidade desde 2000, junto com outras 15 igrejas selecionadas pela Unesco. Está localizada ao lado da Praça de Armas e destaca-se por sua altura, suas duas cúpulas e suas cores. Os jesuítas fundaram o templo em 1567, mas ao serem expulsos da América no século XVIII foi adotado pelos franciscanos. A estrutura atual é de 1906, desenhada pelo italiano Eduardo Provasoli, e construída por carpinteiros chilotes. No interior há um excelente trabalho de cornijas, altares e coros. O mais impressionante é o Cristo.

img_banner