Mídia Jornais chilenos

Imprensa escrita com muita história

O jornal chileno é o mais antigo em circulação sem interrupção de língua espanhola. A imprensa escrita do país tem muita história para contar.

martes, 03 de agosto de 2010  
_medios

- Revistas e semanários chilenos

Entre fevereiro de 1812 e abril de 1813 se publicou o primeiro jornal do país. Foi chamado de Aurora de Chile e foi dirigido por um sacerdote, frei Camilo Henríquez e também formou parte dos primeiros augúrios de vida independente. Com a independência, começou a circular o El Mercurio de Valparaíso. Sua primeira edição apareceu no dia 12 de setembro de 1827, graças a isso é o jornal de mais antiga circulação sem ser interrompido em língua espanhola.

Desde o início, o cenário do jornalismo escrito tem experimentado enormes mudanças. Na atualidade, o alto grau de segmentação, a diversidade e as atrativas plataformas digitais caracterizam a indústria da mídia no Chile. Em grande parte a Internet ajudou a potencializar a indústria local, devido à sua gratuidade e ao sistema denominado papel digital.

Hoje os principais jornais matutinos do Chile são El Mercurio de Santiago fundado em 1900 pela mesma família que deu origem ao de Valparaíso e a La Tercera, de formato Berliner que apareceu por primeira vez em 1950. Ambos são os principais meios de seus respectivos conglomerados - El Mercurio SAP e o Consorcio Periodístico do Chile (Copesa)- e competem tanto pelos leitores quanto por marcar a pauta noticiosa da semana através de suas elaboradas edições dominicais. As duas empresas também expandiram suas operações a rádios, revistas e jornais regionais.

El Mercúrio, incluindo o jornal de Valparaíso que pertence ao Grupo de Diarios América (GDA), acolhe mais de 20 publicações regionais, de La Estrella de Arica, no norte do país, até La Estrella de Chiloé, no sul.

Copesa é responsável pela circulação de La Tercera e está integrada a Jornais Associados Latino-americanos (PAL), junto com 13 conglomerados homólogos de mais oito países. Com ênfase na política e nos negócios, La Tercera é de circulação nacional e também publica El Diario de Concepción em conjunto com a Universidade de Concepción desde maio de 2008.

El Mercurio e La Tercera também põem em circulação produtos de perfil mais popular, como Las Últimas Noticias ou La Cuarta especializadas em esporte e no mundo dos espetáculos, nas fofocas, respectivamente.

Também existe La Nación, 69% de propriedade do Estado. Circula diariamente, com exceção do sábado e uma edição especial aos domingos, com reportagens de atualidade local e internacional. A Empresa Periodística La Nación S.A. também edita o Diario Oficial que publica as leis e normas jurídicas do Chile.

Formatos diversificados – Para todos os gostos

Em 2000, a empresa sueca Metro International viu no Chile a possibilidade de espalhar pela América Latina seu modelo de distribuição gratuita. Atualmente Publimetro circula em 11 cidades do país, e em Santiago é muito popular entre os passageiros do trem metropolitano.

Um formato similar adquiriu La Hora, que depende da mesma casa editora de La Tercera e La Cuarta, e entre 1997 e 2000 circulou como vespertino. Neste segmento da tarde, o líder é La Segunda, fundado em 1931 e que pode ser comprado depois das 14 horas nas ruas do centro de Santiago.

A imprensa especializada está representada na capital pelo jornal Estrategia, fundado em 1978, e Diario Financiero que começou sua circulação uma década mais tarde. Ambos são publicados de segunda a sexta com especial importância nas atividades de negócios, finanças e macroeconomia.

Algumas agências de informação também possuem oficinas ou correspondentes no país, como AFP (da França), DPA (da Alemanha), Ansa (da Itália), Bloomberg (dos Estados Unidos), Dow Jones Newswires (dos Estados Unidos), EFE (da Espanha), Prensa Latina (de Cuba), Orbe (do Chile), Notimex (do México), Reuters (do Reino Unido), IPS (da Itália), AP (dos Estados Unidos), Europa Press (do Chile) e UPI (dos Estados Unidos).

img_banner