San Juan Bautista, enclave único

O único povoado do arquipélago possui 600 habitantes no meio de uma natureza que guarda segredos e deliciosas lagostas.

martes, 03 de agosto de 2010 Categoría: DestinosTop
Bahia de Cumberland Bahia de Cumberland (Photo:Jorge López)

Na baía de Cumberland, bem perto do cais, as casas coloridas ocupam toda a costa e os morros dando as boas-vindas aos viajantes. Os relevos dos montes são a moldura de San Juan Bautista, onde se destaca o morro El Yunque, de 915 m de altura. 

San Juan possui pouco mais de quinhentos habitantes que se dedicam principalmente à pesca de lagosta, uma das cartas de apresentação de Juan Fernández, e de peixes como brecas ou vidriolas. O turismo aumentou nos últimos anos, pois os visitantes são atraídos pelas inigualáveis condições naturais e pelas possibilidades de praticar trekking e mergulho.

A população possui origens continentais e europeias. Houve tentativas de colonização durante a época espanhola, mas somente em 1877, o barão Alfred von Rodt - um visionário suíço que percorreu o mundo antes de chegar ao Chile-, solicitou ao governo da época explorar a ilha Robinson Crusoe. Seu pedido foi aceito e a aristocracia, junto com 50 colonos, gerou o atual povoado cujos herdeiros sanguíneos são orgulhosos guardiães da ilha.

Ainda que não haja luxos, o turista encontra a atenção carinhosa do insulano que faz da estadia um prazer. A infraestrutura da ilha está composta por uma escola básica, um posto de emergências, um quartel da polícia, uns quatro hotéis/hospedarias e cinco ou seis locais de víveres. Não há bancos, não há caixas eletrônicos nem farmácias. Existe uma dezena de carros que quase não andam e as ruas são de terra, principalmente.

Há vários restaurantes na ilha. Não perca a oportunidade de provar a comida típica, que sem dúvida é fortemente influenciada pelo mar. El Parol, uma sopa de lagosta, é uma obrigação gastronômica do lugar. Outros pratos típicos são vidriola na chapa, bacalhau assado ou caranguejos dourados ao disco.

Lugares Históricos, Sinais de Outros Tempos

Saindo de San Juan pode-se realizar excursões a diferentes lugares do arquipélago. Na ilha Robinson Crusoe encontram-se lugares ancestrais e outros que mostram indícios arquitetônicos de épocas passadas. Recomenda-se conhecer a biblioteca e mergulhar de cabeça nos livros que narram os acontecimentos da ilha, além de ser fotografado junto aos antigos canhões que foram instalados na ilha durante a 2ª Guerra Mundial frente à possibilidade de novos enfrentamentos navais. 

Alguns dos marcos históricos interessantes de San Juan Bautista são:

A Caverna dos Patriotas: Foi ocupada pelos deportados durante a Conquista Espanhola e depois serviu de refúgio para famosos próceres como Cienfuegos, Egaña e Eyzaguirre desterrados após o desastre de (Rancagua) em 1814. É um Monumento Nacional.

Forte Santa Bárbara: É o único forte espanhol da ilha que foi construído com pedras em 1749. Possui 15 canhões de diferentes calibres que foram dispostos para proteger o povoado de piratas e corsários. Também é Monumento Nacional.

Porto Francês: Está a 30 minutos de navegação da Baía Cumberland e é onde os piratas franceses chegaram em 1779. Daqui começa uma trilha de trekking para Rebaje de la Piña, planalto entre picos de onde se pode observar a maior quantidade de vegetação autóctone com uma bela floresta de lumas.