Altas definições

TV chilena

A adoção da norma japonesa para a televisão digital promete revolucionar uma indústria que goza de boa saúde e de atores competitivos.

martes, 03 de agosto de 2010  
Altas definiciones Sala de Prensa (Photo: TVN)

- TV por satélite e a cabo

A televisão aberta continua sendo o meio de comunicação de maior popularidade no Chile, onde a recente adoção da norma digital japonesa prevê seu fortalecimento nos próximos anos. Canais nascidos nas universidades desde a década de 50 que perduram com força, uma estatal convertida em modelo de eficiência e privados que chegaram a disputar um pedaço do bolo convivem neste leque eletromagnético.

No total, são seis casas televisivas de recepção livre e de alcance nacional, com seus sinais reproduzidos pelo sistema de pagamento na televisão a cabo e por Internet.

O apresentador Mario Kreutzberger, Don Francisco, é inegavelmente a cara mais visível da indústria. Criado em 1962 nos estúdios do Canal 13 em Santiago, seu programa Sábado Gigante conta com uma marca mundial no livro Guinness, por ser o show de divertimento de mais longa data. Desde meados dos 80, é produzido por Univisión, na cidade de Miami, e se emite a toda América Latina.

Outros produtos emblemáticos da produção crioula são os programas jornalísticos, trabalhos baseados em realidades sociais e com licença para desmascarar criminosos. Os mais reconhecidos e com formatos adotados por outros canais são Informe Especial, que tem 25 anos de trajetória, e Contacto, no ar desde 1991.

Na última década, os próprios meios incluíram artistas, esportistas e modelos, entre outros, no mundo dos espetáculos. Dito conteúdo cativou as audiências e teve importantes caixas de ressonância na imprensa escrita e na TV. Desde 2003, algo similar tem ocorrido com os “reality shows” que, na atualidade, somam mais de uma dezena.

Televisión Nacional de Chile (TVN) está no ar desde 1969 e representa um modelo de administração único - autofinanciado e com bons resultados em audiência e publicidade - em sua qualidade de empresa pública autônoma do Estado cuja diretoria é designada pelo Presidente da República.

Suas novelas têm sido exportadas e o formato de alguns de seus programas, como o “busca talentos” Rojo, licenciados para outros países da América Latina.

Seu sinal internacional (TV Chile) saiu ao mundo em 1989. Hoje, é possível observá-lo nos sistemas contratados de vários países e também através da web. Conta também com um canal dedicado exclusivamente para notícias e que neste momento só pode ser visto através da TV a cabo.

Dependente da Pontifícia Universidade Católica do Chile (PUC), desde 1959 o Canal 13 transmite e teve seu batismo de fogo com a emissão da Copa do Mundo de Futebol realizada no Chile três anos mais tarde, coincidindo com a saída ao ar de Sábado Gigante. Também possui um outro sinal a cabo e uma terceira veta on-line  de notícias 24 horas.

Um terceiro ator tradicional da TV interna é Chilevisión, que nasceu em 1960 com o apoio da Universidade do Chile. Paulatinamente desde 1993, esteve nas mãos do grupo venezuelano Cisneros - ligado a Venevisión - do consórcio Claxson e, até a atualidade, do político e empresário nacional
Sebastián Piñera.

O site pioneiro é a estação da Universidade Católica de Valparaíso, UCV TV, que iniciou suas transmissões em 1957 e que hoje é a única onda com alcance nacional que não sai de Santiago.

Em 23 de outubro de 1990, o surgimento de MEGA marcou a estreia de um canal exclusivamente privado nas telas locais, apoiado econômica e estrategicamente por Televisa, que optou por se retirar da participação em 1999. Está ligado ao grupo Claro, o mesmo que controla o Diario Financiero e a Compañía Sudamericana de Vapores, entre outras empresas.

Um ano mais tarde, debutou no Chile o segundo sinal privado, La Red. Já passou pelas mãos de Copesa - o editor do jornal La Tercera – da TV Azteca e, no presente, é administrada por Alba Comunicattions Group, consórcio com sede em Cleveland (nos Estados Unidos), ligado ao mexicano Ángel González.

Em Santiago também se encontram radicados os canais com sinais livres no formato VHF: Telecanal, Más Canal 22 e LivTV.
Experiências fora da capital e ao longo de todo o país são infinitas, como as que apresentam a Asociación Regional de Televisión (Aretel) do Grupo Bío-Bío A.G.

img_banner