Guia de Atrações

Esqui

Próximo a Santiago há três dos maiores centros de esqui do hemisfério sul.

miércoles, 04 de agosto de 2010  
Centro de Esqui  la Parva La Parva (Photo:Revista Placeres)

Entre os meses de junho e setembro, durante a temporada de inverno, o número de visitantes estrangeiros aumenta, e dentre estes estão as principais equipes europeias de competição de esqui.


Do Vale Central até a Patagônia existem uns vinte centros turísticos de montanha. Aos pés dos Andes a oferta é variada: hotéis de categoria, variedade e qualidade das pistas de esqui, facilidades para aluguel de equipamentos, bons restaurantes e agradáveis cafeterias.


O número de pistas e a extensão de lugares para esquiar têm aumentado. Dentro da oferta, há alguns centros de inverno bastante sofisticados que proporcionam sobrevoos de helicóptero para pousar nos picos permitindo que esquiadores experientes desçam pela neve virgem. Outros centros dispõem de passeios em moto de neve e de banhos termais ao ar livre, enquanto a neve cai sobre suas cabeças.


Esquiadores tradicionais e snowboarders ocupam um importante espaço na oferta invernal. Atualmente, quase todos os centros têm pistas exclusivas para pranchas, com modernos snowparks, enquanto DJs colocam música ao vivo com belas vistas aos vales mais afastados.
Sem esquis e sem bastões, as montanhas brancas sob o sol e o sorriso das crianças brincando na neve já são motivos suficientes. E os centros de montanha são abertos todos os verões para cavalgadas, trekking, expedições espeleológicas e descidas de bicicleta.


Destinos de esqui


El Arpa. A 108 quilômetros de Santiago e a 43 de Los Andes, El Arpa só tem neve virgem, sem pistas nem andaríveis, e dois snowcats que permitem esquiar com vista ao Aconcagua. El Arpa é obra de Toni Sponar, um octogenário austríaco que na década de 50 chegou ao Chile e se enamorou de Los Andes. Comprou dois mil hectares de montanha e, sem outro capital aparte de seu sonho, se lançou a construir seu próprio centro. Uma tarefa que após três décadas ainda não está concluída.


La Parva. A 42 quilômetros de Santiago, La Parva foi fundada pelos franceses residentes no Chile. Caracteriza-se por seu ambiente familiar e uma montanha que permite um esqui intenso e divertido. Construída de frente para o norte, suas pistas recebem sol o dia todo. Algo que é bom, especialmente no inverno. É um lugar de treinamento de equipes internacionais de esqui, e se destaca por suaves inclinações e amplos bowls, além de verticais chuts. Em 2009, foi sede de uma etapa do World Xtreme Skiing Tour. 


El Colorado.  São quase mil hectares para a prática de esqui, além dos de Farellones, que depende do mesmo Centro. Seu nome se deve a um cerro cônico, com amplas ladeiras e suaves pendentes. As pistas Colorado Chico 1 e 2, que possuem andaríveis de arraste, são fáceis de usar e ideais para aprender. Depois, estão todas as pistas intermediárias como Condor e León, que definem o estilo ágil e competitivo do centro. Já as pistas La Cornisa e Cono Este exigem mais habilidade e experiência e estão voltadas para o leste e para o sul, respectivamente. Estas oferecem uma neve mais seca. Para dormir em El Colorado há confortáveis hotéis, chalés, refúgios e apartamentos. A oferta gastronômica vai desde a comida rápida até a sofisticada comida internacional.


Valle Nevado. Seguindo a Rota G-21, ou Caminho a Farellones, Valle Nevado  se encontra a 60 quilômetros do aeroporto de Santiago. Definitivamente, trata-se de um moderno complexo hoteleiro desenhado pelo arquiteto chileno Eduardo Stern, que reproduz o estilo gaulês de Lês Arcs. O Valle Nevado conta com três hotéis e dois edifícios de apartamentos, além de SPA & fitness Center, minimarquet, boutiques e vários restaurantes. Sua neve é perfeita, com orientação sul-leste, característica que permite uma melhor conservação.


PortilloÉ um dos centros de esqui mais antigo e com maior prestígio do continente. Estas pistas, que ficam ao lado da bela lagoa do Inca, já foi sede de um campeonato de esqui mundial em 1966. Tem neve em pó, pistas especiais para praticar snowboard e também o clássico Gran Hotel de Portillo. O centro está a 164 quilômetros de Santiago e se pode chegar pela rota 57.


Nevados de Chillán. Aos pés do cordão Nevados de Chillán, este grande centro de esqui é famoso por todo o seu extraordinário terreno fora da pista. Em Nevados de Chillán, nove andaríveis conectam 28 pistas bem aplanadas a mais de mil metros de desnível. No pico, uma extraordinária vista panorâmica em 360º inclui uma privilegiada vista do vulcão Antuco, da majestosa Sierra Velluda e do vulcão Domuyo, na Argentina. Muito próximo está Las Trancas, uma pequena vila andina com hotéis e chalés localizados entre florestas, quedas de água e escarpados. As opções são múltiplas: um circuito para praticar esqui nórdico e outro para andar de motos de neve, um renovado snowpark e um tobogã de neve. Além do grande hotel Termas de Chillán, com um cassino incluído.


Antillanca. O Centro de Esqui Antillanca foi fundado em 1945 e está localizado no Parque Nacional Puyehue. Possui imponentes vulcões e misteriosos bosques que parecem saídos de um conto. Com o tempo se transformou em um dos mais bem equipados do sul do país. Há restaurantes e uma cafeteria, além de um aconchegante hotel. Oferece 400 hectares de terreno habilitado para esquiar, destacando as zonas próximas ao vulcão Casablanca e, em especial, ao imponente Cerro Hayque.

 

Corralco. A cada dia está mais na moda, oferece a possibilidade única de esquiar entre araucárias. Tem um lodge e uma pequena cafeteria, também conta com uma creche, sala de primeiros socorros e ski shop. Além disso, oferece um teleférico duplo e nove pistas; sendo Pudú e Huemul, a mais longa, para principiantes. Puma e Condor para esquiadores com mais experiência. O centro só funciona nos fins de semana e, a partir de setembro, também nas sextas-feiras. Uma aventura notável é subir em uma máquina “pisaneve” para descer esquiando desde a cratera Navidad.

 

Cerro Mirador. A só 15 minutos da Praça de Armas de Punta Arenas. É o centro mais austral do Chile. Pode-se esquiar olhando para o Estreito de Magalhães e para a Tierra del Fuego. Administrado pelo Clube Andino de Punta Arenas, são 18 hectares ao interior da Reserva Nacional Magalhães. Pode-se esquiar entre as árvores, enquanto um teleférico de dois lugares e um andarivel de arraste conectam as suas 14 pistas. Conta também com uma cafeteria, uma creche e escola para crianças.