Puerto Natales, cidade mochileira

Cidade baqueana, de ovelhas e cavalos, com as montanhas nevadas no fundo. Na Patagônia é um povoado encantador.

miércoles, 04 de agosto de 2010  
Cueva del Milodón Cueva del Milodón (Photo: Monumentos Nacionales)

Localizada a 247 km ao noroeste de Punta Arenas e com uma população de 19 mil habitantes, este lugar é referente obrigatório para quem se dirige a Torres del Paine. É a cidade mais próxima do Parque e possui uma boa infraestrutura turística.

Nos últimos 20 anos se transformou numa cidade cosmopolita. A proximidade às Torres a transformou em acampamento base dos mochileiros internacionais. Fundada em 1911, após um passado mineiro e pecuário, a localidade vive para o turismo.

Centenas de letreiros em inglês, francês ou hebraico anunciam viagens, hospedagens e outros serviços próprios de um lugar multicultural. Um antigo cidadão da região se apresenta em cartazes e em uma enorme estátua que recebe os viajantes - trata-se do Milodón, Mylodon darwini, animal pré-histórico extinto há 10 mil anos aproximadamente e que se tornou o anfitrião de tesouros patrimoniais humanos e naturais desta zona.

Atrações da cidade

Formosos pinheiros cortados em formas circulares emolduram a Praça de Armas, o principal ponto de encontro da comuna. Ali está a igreja, a Municipalidade, hospedarias e ótimos restaurantes. A principal atração é a antiga locomotiva que se encontra no centro. Foi a primeira que uniu o antigo frigorífico de Puerto Bories com Puerto Natales no começo do século XX.

Na orla marítima há uma impressionante vista panorâmica da costa de Natales. Montanhas nevadas, glaciais descendo dos montes para o mar, e o canal Señoret que parece penteado pelo vento. Formosos hotéis ribeirinhos, o cais, alguns cruzeiros e cisnes-de-pescoço-preto, cisnes coscoroba, gaivotas, patos, cormorões e flamingos nas águas salgadas completam o maravilhoso cenário.

Somente a 5 km ao noroeste de Puerto Natales e rumo a Torres del Paine se encontra o Museu Histórico de Sítio Puerto Bories. São as antigas edificações do maior frigorífico que funcionou na Patagônia no início de 1900. De arquitetura inglesa, possui um percurso autoguiado e um impressionante cais.

Atrações próximas

Símbolo da cidade, o milodón foi um animal herbívoro pré-histórico, cujos restos foram encontrados numa grande caverna localizada a 24 km ao noroeste de Natales. O lugar declarado Monumental Natural é formado por três cavernas e um conglomerado de rochas chamado Silla del Diablo (Cadeira do Diabo). No lugar há uma réplica do animal e também possui serviço de cafeteria.

Visível da margem de Natales, o glacial Balmaceda forma parte do Campos de Hielo Sur e pertence ao Parque Nacional Bernardo O’Higgins. Para chegar deve-se pegar alguma embarcação que navegue pela beira deste glacial pingente de 2.035 m de altura, localizado na pendente oeste do morro. Há desprendimentos de enormes blocos que deslizam pelo setor leste do Monte Balmaceda para, finalmente, caírem depositados no Fiorde Última Esperanza. Impressionante.

  A nova atração de Natales é o canal das Montanhas, lugar onde somente se pode chegar navegando. A travessia pode durar de 2 a 10 dias e pode-se praticar caiaque, escalada em gelo e trekking pela zona do golfo Montt e pelo canal Kirk. Há várias empresas associadas para destacar um dos lugares secretos próximos da cidade. O monte Sarmiento, o glacial Bernal, Alsina e Bahia Paredes são parte do itinerário. Está a 3 horas de navegação de Natales.

A cordilheira Dorotea é um cartão postal obrigatório da zona oriental de Natales, uma paragem formada no período cretáceo superior, quer dizer, há 72 milhões de anos e está composta por rochas sedimentadas com restos fósseis. A melhor vista da paisagem natalina é do Mirante Dorotea, a 600 m de altura. A caminhada dura poucas horas e a rota está a 4 km da cidade.

img_banner