Destinos Clássicos

Imperdíveis de Torres del Paine

viernes, 06 de agosto de 2010  
Kayak en el Grey Grey (Photo:Jorge Lopéz)

Imperdíveis de Torres del Paine
Torres del Paine

Caminhar pelas Torres: existem várias trilhas que se adentram no Parque, seja para uma excursão de um dia, seja para mais de uma semana de travessia. Dentro das mais populares estão:
-“W”: com uma dificuldade intermediária, e uma média de caminhada de 4 a 5 horas por dia. Une a zona da hospedaria Las Torres com o refúgio do Lago Grey, em três ou quatro jornadas. A viagem inclui lugares notáveis como o mirador de Las Torres, o acampamento Italiano com subida ao Valle del Francés que tem uma vista fantástica da cordilheira do Paine e do lago Grey, com centenas de fragmentos de gelo que caem das paredes glaciares que se limitam com a bacia lacustre. É um trekking rápido e com muitas pessoas circulando pelas trilhas.
-“Grande”: são necessários sete dias pelo menos, para completar esse circuito que, além de passar pelos já nomeados na “W”, adiciona as atrações das zonas do Serón, o refúgio Dickson com belas vistas panorâmicas de lagos e glaciares que descem dos morros nevados, e a famosa passagem John Gardner. Este último lugar é a parte mais difícil de toda a caminhada, já que há que subir quase mil metros de desnível de morena; mas o esforço é recompensado. A partir da colina e antes de começar a descida, se pode apreciar uma das vistas panorâmicas mais poderosas do Chile: Campos de Hielo Sur se expande até onde a vista alcança. As fendas azuis que demarcam as separações entre os gelos é o grande prêmio para aqueles que se aventuram nesse trekking.
Os dois circuitos precisam de todos os implementos necessários para uma longa caminhada no meio da natureza. Caixa de primeiros socorros, bloqueadores, sapatos que não se rompam facilmente e roupa para proteger do frio e da água. Depois, só há que respeitar as regras do parque e desfrutar o magnífico cenário proporcionado pela cordilheira local e suas clássicas montanhas como as Torres, três elevações de granito ou os Cuernos del Paine.

Andando de Caiaque pelo Grey: um convite a sulcar a bacia do lago a bordo de caiaques que, ainda que não possam chegar até as paredes mais austrais de Campos de Hielo, atravessam enormes icebergs de tons azuis intensos. O único que se percebe é a respiração ofegante e o silêncio do lago. Com sorte será possível ingressar e observar a intrincada e bela arquitetura interna dessas abóbadas geladas.
Para os que amam o caiaque, existem várias empresas que prestam serviços por outros setores, que vão desde cruzar lagos, até descer rios como o Serrano e o Tyndall. É a melhor sensação para ver o poder hídrico que se forma nas Torres.

Cavalgar pelo parque: há cavalgadas permitidas dentro do Parque somente em alguns setores; contudo, os baqueanos ou gaúchos locais, com sua inconfundível indumentária, transitaram durante décadas pelas trilhas do Paine. Hoje são eles os principais guias desse tipo de tour. É uma grande experiência para conhecer bem outros lugares e em pouco tempo.

Escalar o Paine: um desafio extremo do Parque é subir algum dos seus picos. Com uma média de entre dois e três mil metros, a dificuldade se dá devido ao desnível, um clima instável e os ventos, condições que o torna um desafio a nível mundial. Os picos de granito datam de 12 milhões de anos, sendo os mais jovens do continente.
Nesse lugar há muito para escolher. O Paine Grande, de 3248 metros; a Fortaleza, de 3000 metros; a Aleta de Tiburón, de 1850 metros, e as três clássicas torres de granito: a Norte, de 2600 metros; a Central, de 2800 metros, e a Sul, de 2850 metros, para montanhismo ou escalada livre.
Não é um desafio fácil. As paredes das Torres começaram a ser escaladas entre a década de 50’ e 60’. Somam-se os originais e tremendos Cuernos e as paredes muito verticais do Fortaleza e do Escudo. Mas, sem dúvida, o mais importante é o Paine Grande, um desafio esportivo que foi escalado pela primeira vez em 1963 por uma cordada italiana. Para aqueles que não escalam há opções que aproximam os acampamentos bases, bem perto dos pics: o Acampamento Britânico, no Valle del Francés, e o Acampamento Japonês, no Valle Ascencio.

Observar pumas e huemules:
ainda que sejam os mamíferos mais escassos, é possível avistá-los tendo paciência e boa sorte. São visíveis nas leoneiras, lares dos pumas no Lago Sarmiento, nas proximidades dessa bacia. Ainda assim, se recomenda prudência. Os huemules podem ser encontrados nas proximidades do Lago Grey. Eles podem ser fotografados, pois fogem do contato humano somente quando é muito próximo ou invasivo.