Fauna marinha

No Chile há um deserto que floresce, condores na cordilheira dos Andes e baleias azuis que reinam absolutas no mar.

viernes, 06 de agosto de 2010  
Delfín Austral Delfín Austral (Photo:Nomads of the Seas)

Destacam-se as toninas ou golfinhos-de-commerson, animais brincalhões que em cativeiro são conhecidos como os ursos panda do mar.
 
Atualmente, o interesse por observar baleias está aumentando. Um dos lugares mais buscados é o acampamento Whale Sound, na Reserva Marinha Carlos III do Estreito de Magalhães, ou alguns parques privados como o Tantauco, em Chiloé.

Nestes lugares é possível observar com relativa facilidade, e de preferência no início do verão, baleias azuis e baleias-jubarte ou corcundas. Desde 2008, o Chile assinou um acordo internacional que proíbe a caça de baleias.

Uma raridade nas águas chilenas é a presença de tartarugas marinhas. Pertencem à espécie tropical tartaruga verde, e são fáceis de encontrar em Antofagasta e Mejillones.

Estima-se que no Chile há mais de duzentas espécies de peixes, dos quais 56 são de interesse comercial. Entre estes se destacam congros e corvinas, linguados, salmões e merluzas austrais. E dos moluscos destacam-se locos e machas, ostras e ostiones.
Nas águas chilenas existe uma enorme variedade de crustáceos destacando-se a centolla austral e a lagosta de Juan Fernández.
O território marítimo da Ilha de Páscoa está livre da corrente de Humboldt. Por isso, as espécies marinhas são tropicais, diferentes às da costa continental.
O atum é especialmente saboroso. O arquipélago de Juan Fernández se caracteriza pela grande variedade de peixes endêmicos, destacando-se as vidriolas e as garoupas de Juan Fernández.

Estes dois territórios insulares possuem os melhores lugares para o mergulho no Chile.

img_banner