Terra do Fogo, um território por descobrir

Cruzando o Estreito de Magalhães, uma enorme ilha guarda secretas atrações e longínquos mistérios.

lunes, 09 de agosto de 2010 Categoría: DestinosTop
Tierra del Fuego Tierra del Fuego (Photo:Jorge López)

Nome mítico da história da navegação e de aventureiros que entraram neste território de 2,7 milhões de hectares no território chileno. Dividida por uma linha imaginária com a Argentina, para ir à ilha deve-se navegar em modernos ferry-boats ou utilizar um teco-teco que em 12 minutos chega a Porvenir, principal povoado da Terra do Fogo.

Chegar a esta zona continua sendo uma grande aventura. Porvenir, Cameron, Onaisín e Morro Sombrero são os quatro centros povoados dentro deste grande território que se interconecta por estradas de cascalho. A Terra do Fogo foi avistada pela primeira vez em 1520 por Fernão de Magalhães e depois visitada por grandes nomes da marinha mundial que procuravam novas passagens interoceânicas. 

Nos séculos posteriores, exploradores e caça-fortunas do mundo inteiro se internaram nas terras dos Selk’nam, habitantes originários da Terra do Fogo, quem foram perseguidos e exterminados completamente devido à violência e às doenças ocidentais. Apesar do seu desaparecimento, as raízes de seu sangue continuam vivas na curiosa mistura de raças que se produziu e que continua fazendo da ilha um lugar de pessoas fortes, orgulhosas de suas origens e amáveis com os estrangeiros. Dentro da extensa geografia local, onde há montanhas nevadas, grandes florestas, pântanos e pampas, destacam-se os seguintes pontos de interesse:

Porvenir é a principal cidade da ilha, fundada em 1894, e possui 5 mil pessoas aproximadamente. Suas origens provêm da febre aurífera no final do século XIX, quando chegaram imigrantes croatas e aventureiros chilenos que depois foram os criadores das estâncias para o gado ovino, chamado de ouro branco. Recomenda-se visitar a praça, a orla marítima e o museu Fernando Cordero, que contém múmias selk’nam e documentos de Julio Popper, o rei da Terra do Fogo, que ficou rico com o ouro mineral e foi autor direto das chacinas indígenas. Além disso, encontra-se o cemitério municipal e o Parque del Recuerdo, com antigas máquinas mineiras em exibição livre.

O cordão Baquedano está localizado a 50 km ao sul de Porvenir e possui a vista mais espetacular do Estreito de Magalhães. É possível visitar uma área de extração aurífera onde os pirquineros realizam o trabalho com um grande prato de metal no rio, como nos filmes do velho oeste. Há possibilidades de cavalgadas de dois ou mais dias.

Onaisín é uma antiga fazenda fundada em 1833 pela Sociedade Exploradora da Terra do Fogo, um gigantesco consórcio que trabalhou na atividade ovina até a metade do século XX. Destacam-se os prédios da época e os cemitérios de Colonizadores de Onaisín e de San Sebastián, ambos são Monumentos Nacionais. Excelente lugar para tirar fotografias.

Com uma ótima vista para a Cordilheira Darwin e para a ilha Victoria no meio de suas águas, o lago Blanco é o grande destino da pesca com mosca na Terra do Fogo. A grande praga da Patagônia são os castores, pois derrubam enormes extensões de florestas para fazerem suas casas. Ao subir o morro Cuchilla de 800 m, que demora 8 horas de caminhada ida e volta, é possível tirar fotografias de todo o cenário do Blanco. A zona é imperdível. Há que levar provisões e combustível. Localiza-se a 210 km ao sudoeste de Porvenir.

O parque natural Karukinka (Nossa terra, em linguagem selknam) é uma área modelo de conservação. Trata-se de 270 mil hectares de florestas que foram salvas de serem transformadas em chips e que agora contam com um Plano de Uso Público cujo objetivo é abrir o parque, permitindo o desenvolvimento de atividades de gestão, educação, pesquisa e turismo para a conservação. Pode-se visitar o setor de Lago Escondido, parte de Karukinka, a partir do qual nasce o curso de água mais importante da Terra do Fogo: o Rio Grande.

img_banner