Guia de Atrações

Pesca com mosca no Chile

O Chile é um destino escolhido pelos amantes da pesca com mosca de todo o planeta. A prodigiosa natureza é irresistível.

lunes, 09 de agosto de 2010  
Pesca Pesca (Photo:Nomads Of The Seas)

A geografia local tem uma grande variedade de rios, com características, tamanhos e formas que são o melhor habitat para diversos tipos de trutas e salmões introduzidos há quase 100 anos no país. Essa é a razão pela qual o Chile é considerado um dos melhores territórios para desfrutar da pesca com mosca.


A qualidade das espécies, a pureza das águas e a poderosa natureza que rodeia cada setor de pesca, falam silenciosamente para os amantes desse esporte.


Pode ser praticado desde a II região até os confins da Tierra del Fuego. Entretanto, é a Patagônica a que conta com a bem-sucedida fama mundial para a prática dessa arte. Suas águas cativaram pescadores do mundo inteiro que cruzam o planeta para serem fotografados com alguma peça e depois liberá-la na bacia do rio, na modalidade chamada “catch and release”.


Algumas das espécies que, em geral, existem no Chile são: a truta arco-íris, desde a Zona Central até o sul, a truta fário, desde a V até a XII região, o salmão coho, nos rios e lagoas da X até XII região. Finalmente e se tem sorte, é possível pescar o chinook ou salmão rei - autêntico monstro das águas chilenas - que habita a Patagônia e a Tierra del Fuego, principalmente.


Rios e Peixes


Lonquimay: é uma comuna com um entorno fantástico, que oferece uma ampla variedade de possibilidades para praticar a pesca com mosca. Num raio de 100 quilômetros as alternativas são diversas: lagos Galletué, Icalma, Mariñaco, Jará e os rios Bio-bío, Rahue, Polul e Lonquimay.


No início da temporada, os streamers e as imitações de ninfas são as mais efetivos. A partir da metade de dezembro, as moscas secas tornam-se protagonistas, o que significa que é uma pesca mais técnica, que prova os conhecimentos e a experiência do pescador. Em todo momento peixes muito fortes tentam escapar dessa tramoia.


São vários os setores onde o vadeo não exige dificuldade. No entanto, para se chegar aos melhores lugares de pesca, é preciso utilizar catarraf, uma cômoda embarcação que navega agilmente pelos lugares difíceis. Nesses setores se escondem as melhores peças.


Lonquimay está a 156 quilômetros de Temuco - pela rota Lautaro-Curacautín-, e a 186 quilômetros pelo caminho Victoria-Curacautín. Os dois caminhos estão totalmente pavimentados até Lonquimay.


Valdivia: O setor de Folilco é ideal para pescar com mosca seca e emergente, excelente para os amantes da pesca clássica. As águas transparentes são muito agradáveis para a pesca de vadeo, têm rios com eclosões constantes e, além disso, trutas de bom tamanho, muito seletivas, que não são fáceis de pescar, pois já viram muitas iscas nos leitos através dos anos.


Rio Maullín: é o único desaguamento do enorme Lago Llanquihue, em pleno coração da Região dos Rios. É um rio de longo percurso que serpenteia pelos campos da região. Às vezes, a vegetação formada por florestas de arrayanes (Rhaphithamnus spinosus)e outras espécies de lugares aquáticos, cobre totalmente as suas margens.


O rio tem uma grande quantidade de trutas bastante saudáveis e combativas, na maioria trutas fario ou marron e, em menor medida, de trutas arco-íris. Às vezes também é possível pescar salmões salar e as escassas e chamativas peladillas (Aplochiton taeniatus) ou farionelas (Aplochiton zebra). Um dos grandes atrativos desse rio é a possibilidade de pescar marrons troféus sem a necessidade de viajar a lugares remotos. Não é estranho achar peças de 5 ou mais quilos nas profundezas do rio.


A pesca é feita, principalmente, com grandes streamers e, às vezes, com ninfas. Em relação à pesca com mosca seca, é possível fazê-la ao entardecer e na própria praia.


Coyhaique: a cidade de Coyhaique está rodeada por inumeráveis corpos de água, a maioria deles com excelente pesca. Os lugares de pesca se encontram a aproximadamente uma hora de distância.


Rio Simpson: tem 40 quilômetros de extensão e é, talvez, o mais conhecido da região. Sua população de trutas fario e arco-íris varia entre 35 e 55 centímetros de tamanho. O rio é famoso por suas grandes eclosões de caddis e mayflies. Nos meses de janeiro, fevereiro e meados de março se observam grandes quantidades de salmão chinook que, em sua maioria, ultrapassam um metro de comprimento.


Rio Emperador Guillermo: difícil de acreditar, mas este rio possui uma grande quantidade de trutas. É possível que você supere a quantidade de cem trutas em um único dia.


Rio Ñireguao: foi catalogado pelos mais experientes como “o melhor rio para a pesca de trutas fario da América do Sul”. O tamanho médio das trutas varia de entre 40 e 45 centímetros, podendo chegar a 60 e até 70 centímetros.


Rio Cisnes: com mais de 80 quilômetros de extensão, nasce perto da fronteira com a Argentina e desemboca no Oceano Pacífico. Em sua parte alta, existe uma abundante população de trutas fário. Salmões chinook povoam suas águas nos meses de fevereiro e março.


Rio Paloma: nasce no lago Deserto e desemboca no lago Caro. Possui belas trutas fário e arco-íris, cujo tamanho médio oscila entre os 35 e 55 centímetros.


Os Fiordes: oferecem uma pesca fascinante. Na zona dos fiordes existem numerosos rios que desembocam no mar e neles é possível pescar grandes trutas arco-íris que alcançam normalmente de 2 a 3 quilos. Também é possível encontrar belas fários.


Tierra del Fuego: o rio Grande é considerado o melhor rio do mundo para a pesca da truta marrom migratória. A cada ano, centenas de pescadores do mundo inteiro lotam os lodges existentes nos dois lados da fronteira, no Chile e na Argentina. O Rio nasce nas Turbas e também se alimenta dos lagos Lynch, Rio Rivero e Blanco. Tem uma extensão de 220 quilômetros e suas águas são de cor marrom clara transparente. A primeira metade do rio se encontra em território chileno, no interior da enorme Estância Cameron.


Desde que John Goodall implantou as ovas no início do século XX, e graças a uma acertada política de conservação nos dois países, as trutas que migram todos os anos para o mar em busca de comida, retornam e sobem o rio de setembro a maio para desovar. Milhares de enormes trutas marrom sobem as curvas deste típico rio de estepe e se detêm nas piscinas de fundo pedregoso para acasalarem e se reproduzirem.


O vento predominante nesta parte da Ilha é um aliado dos pescadores, já que normalmente os dias tranquilos e com sol não são acompanhados de boas capturas.


O rio Grande tem enorme prestígio internacional. Basta lembrar que o recorde de maior truta marrom migratória foi capturada lá e pesa quase 16 quilos. Também se pode capturar trutas marrom residentes, as juvenis que não migram e conservam sua cor típica.


Em um dia normal de pesca, dentro do percurso do rio se pode pescar trutas residentes de entre 500 gramas e 2 quilos. Normalmente são trutas farios, as arcoíris podem ser encontradas no Rio Grande, mas em menor quantidade.