Antártida, a última fronteira

Território branco onde convivem fauna, cientistas e aventureiros, no meio do gélido clima mais austral do mundo.

lunes, 09 de agosto de 2010 Categoría: DestinosTop
Antartica Antartica Foto:Turismo Chile

O território antártico chileno possui uma extensão de 1.250.000 km2. Um tamanho muitíssimo maior ao território continental chileno e que torna esta gélida zona um dos máximos patrimônios do país, tanto por sua riqueza natural quanto por seus notáveis recursos naturais.

Pode-se visitar em cruzeiros, como a nave Antartic Dream (um quebra-gelos holandês remodelado) ou em buques científicos, e por via aérea de Punta Arenas. Ambas as opções são igualmente atrativas. É claro, por via marítima demora muito mais; o voo une os 1.250 km em três horas e a chegada é na base Teniente March em Terra de O’Higgins, onde se encontra a maior parte das bases científicas internacionais.

As viagens são por um ou dois dias devido às dificuldades geográficas e climáticas do continente gelado. Na região se realizam caminhadas de observação da fauna antártica, lobos marinhos,- sobretudo de manhã - , e na tarde, pinguins Papuas na ilha Ardley. Se tiver sorte pode-se ver desde elefantes marinhos a orcas e baleias. Também se oferecem sobrevoos em helicóptero por diferentes zonas antártidas e excursões em motos de neve.

A Força Aérea em Villa las Estrellas, o único povoado do lugar, possui uma hospedaria com capacidade para 80 pessoas. Oferece alojamento a visitantes e cientistas nacionais ou estrangeiros, com prévio contato. Também existe um elevador de esqui de arrasto de 100 m de comprimento que permite desenvolver atividades de esqui nas proximidades da base. Ali há uma escola, um hospital, uma sucursal bancária, um posto de correio e uma loja de venda de souvenirs. Perto da vila também há uma pequena capela.

img_banner