Comemorações católicas

Guia das festas religiosas no Chile

Dançar com os demônios de La Tirana ou correr junto a um sacerdote a cavalo na Festa de Cuasimodo são oportunidades únicas para conhecer as tradições religiosas do Chile.

jueves, 19 de agosto de 2010  

Segundo o último censo nacional de 2002, 69,96% dos chilenos se declararam católicos. Desde a chegada dos espanhóis no século XVI, a religião católica tem sido o principal credo ocidental no Chile. Mas, com o passar do tempo e a influência das culturas autóctones, foi se desenvolvendo um sem-fim de ritos, muitos dos quais sobrevivem até hoje como tradições religiosas

Desde o caloroso norte até a Ilha de Chiloé no sul, todos os anos diferentes comemorações religiosas congregam milhares de fieis e visitantes, proporcionando a estes últimos uma experiência única para conhecer os costumes do país e o lado espiritual dos chilenos.

Estas são algumas das comemorações mais importantes:

La Tirana

Trata-se da festa religiosa mais popular do norte do país, chegando a reunir mais de 220 mil pessoas em 2008. Ainda que na atualidade seja realizada no dia 16 de julho em comemoração à Virgem del Carmen – considerada a “Padroeira do Chile”- esta celebração tem origem andina e está fortemente relacionada com o culto à Pachamama, a mãe terra para as  etnias aymará e quechua, sendo uma demonstração da mestiçagem entre as culturas autóctones americanas e europeias.

As celebrações se concentram na localidade de La Tirana, a 90 quilômetros da cidade de Iquique, entre os dias 12 e 18 de julho, quando se organizam uma série de ritos, cantos e danças com trajes do altiplano de variadas cores e formas. A mais famosa destas danças é a "Diablada", onde bailarinos com grandes e coloridas máscaras de demônios se enfrentam às forças do bem, lideradas pelo arcanjo Miguel. Tudo acompanhado por grandes bandas de instrumentos de bronze e do som dos tambores.

Para esta comemoração chegam visitantes de todo o Chile, inclusive do Peru e da Bolívia. Pode-se chegar por terra saindo de Iquique ou Arica até o povoado de Pozo Almonte, a 11 quilômetros de La Tirana, de onde existe transporte público regular e fluido durante a festa.

Festa de Cuasimodo

Esta comemoração é uma expressão da religiosidade popular própria da área rural chilena. Realiza-se no primeiro domingo após a Páscoa (que para os católicos varia de ano a ano, entre 22 de março e 25 de abril) nas localidades da zona central próximas a Santiago, como Lo Abarca, Cuncumén, Lo Barnechea, Llay Llay, Colina, Peñalolén, Casablanca, Talagante, Conchalí, Isla de Maipo e Maipú.

Em cada lugar se organiza uma "corrida", onde os "cuasimodistas" (huasos ou caipiras vestidos especialmente para a ocasião) montados a cavalo, escoltam uma carroça que leva o sacerdote. Nas zonas mais urbanas dentro de Santiago (como Maipú e Peñalolén) a bicicleta tomou o lugar do cavalo, transformando o evento em uma grande cicletada popular.

Esta festa se remonta à época da Colônia, quando os sacerdotes visitavam os povoados para levar a comunhão aos doentes e idosos que não podiam cumprir com as suas obrigações religiosas. Para evitar que os sacerdotes fossem assaltados por bandidos durante a travessia os huasos católicos o acompanhavam, distinguidos com um característico lenço na cabeça.

Virgem de Lo Vásquez

É a festa religiosa mais concorrida no país: em 2009 conseguiu reunir mais de um milhão de pessoas. Realiza-se no dia 8 de dezembro para comemorar a Imaculada Conceição, quando milhares de católicos chilenos vão aos santuários dedicados à Virgem Maria ao longo de todo o país, sendo o mais visitado o de Lo Vásquez, localizado na comuna de Casablanca, na rota que une Santiago a Valparaíso. A cerimônia é uma mostra do fervor dos católicos chilenos à Virgem Maria.

Tanto da capital quanto do litoral central, milhares de peregrinos se dirigem ao santuário caminhando, de bicicleta e alguns, inclusive, vão de joelhos para pagar uma promessa ou um favor concedido pela Virgem. É tão grande a quantidade de peregrinos que parte da rota é fechada para os automobilistas a fim de facilitar o traslado dos fieis. Ao redor do templo também se encontram postos de comércio oferecendo comida e artigos variados.

San Sebastián

Localizado 68 quilômetros a leste de Concepción, Yumbel é um povoado de 20 mil habitantes que recebe mais de 300 mil visitantes todos os verões. Nesta data se venera San Sebastián, um dos primeiros mártires do cristianismo segundo a tradição católica. O culto local começou em 1663, quando os espanhóis levaram ao povoado uma imagem do santo talhada em madeira de cedro. Uma estátua que hoje se encontra no altar do Templo Católico de Yumbel.

Os moradores começaram a atribuir milagres ao santo, como a extinção de um incêndio em 1747 e, com isto, fizeram crescer a reputação de Yumbel como cidade santuário. Em torno a festividade religiosa se desenvolve uma série de atividades relacionadas a comida local e ao comércio. Pode-se encontrar de tudo, desde roupa até artigos religiosos como velas, selos e figuras.

Em San Sebastián é possível ver as tradições rurais do centro-sul do Chile com o fervor religioso, já que muitos peregrinos chegam com trajes típicos do campo chileno. A comemoração oficial é no dia 20 de janeiro, mas visto que muitos campesinos trabalham nesta data, também se comemora em outra data –no dia  20 de março.

O Nazareno de Cahuache

Todo dia 30 de agosto na ilha Cahuache na Região de los Lagos, se realiza a maior festa religiosa de Chiloé, a do Jesus de Nazareno de Cahuache. Os visitantes vêm de todo o arquipélago e organizam uma regata para chegar massivamente em suas barcaças e lanchas, através dos belíssimos fiordes e ilhotes da zona.

A tradição começou em 1778 através dos sacerdotes franciscanos, que instalaram no templo da ilha uma figura de Jesus. A estrutura de madeira é uma fiel representante das igrejas chilotas, 16 das quais possuem a categoria de Patrimônio da Humanidade, incluindo a de Cahuache.

Uma boa opção para chegar é através dos cruzeiros Skorpios que saem de Puerto Montt, e que organizam viagens grátis para levar os peregrinos a essa pequena ilha.

Artigos Relacionados

Chilenos preparam ajuda para afetados pelo terremoto

Festas tradicionais do Chile

img_banner