Rock of ages

Videogame chileno é o protagonista na feira mais importante do mundo

Software desenvolvido integramente em Santiago pelo estúdio ACE Team foi uma das cartas de Atlus na última edição da E3.

miércoles, 22 de septiembre de 2010  
 

A maior feira de videogames do mundo, a Electronic Entertainment Expo (E3), teve uma marca histórica de 45.600 visitantes entre empresários, criadores, jornalistas e fãs na sua última edição, e em 2010 comemorou 16 anos de vida no Convention Center de Los Ángeles, Califórnia.

Foi nesse contexto que -atuando como publicadora- uma das firmas mais tradicionais da indústria, a filial norte-americana da japonesa Atlus, desvelou o vídeo sinopse de Rock of ages, a proposta que o chileno ACE Team apresentará no primeiro semestre de 2011, estabelecido na cidade de Santiago pelos irmãos Andrés, Carlos e Edmundo Bordeu, além de David Caloguerea.

Estratégia e plataforma

Da mesma forma que com Zeno clash, sua anterior entrega, a jovem equipe criou uma proposta tão arriscada quanto inovadora, que resultou em um híbrido com elementos de jogos de estratégia e plataforma, concebido para baixar no computador ou através dos sistemas de Microsoft e Sony em seus consoles de última geração, Xbox 360 e PlayStation 3.

Mas para fazer de Rock of ages um jogo multiplataforma e evitar que sucedesse o mesmo com sua obra-prima -criada originalmente para PC e logo modificada para Xbox e impossibilitada tecnicamente de se adaptar à recreativa nipônica-, os irmãos Bordeu concorreram com sucesso a um fundo estatal de aproximadamente US$ 80 mil disposto pela Corporação de Fomento da Produção (Corfo).

A nova aposta de ACE Team contempla modalidades de jogo contra a própria inteligência artificial, tela dividida e em linha. Em poucas palavras, o objetivo consiste em organizar mais de 20 diferentes unidades, entre tropas e postos defensivos, através de uma trilha em declive para resguardar o próprio castelo de uma grande rocha gigante controlada pelo oponente e é lançada do alto da colina.

Tanto a banda sonora como a estética estão baseadas em diferentes épocas da história da arte, com desenhos renascentistas e góticos, entre outros. Tudo inspirado no programa de televisão Monty Python’s Flying Circus, do grupo humorístico britânico de mesmo nome, do qual os irmãos Bordeu se declaram admiradores.

Ainda que para tais efeitos a equipe tenha trabalhado exclusivamente a partir do seu escritório localizado no bairro residencial de Providencia, os equipamentos de ACE Team estão provistos do potente motor de jogo Unreal engine 3, o mesmo com que foram desenvolvidos  best sellers como Gears of war e Mass effect.

Prestígio internacional

A história dos irmãos Bordeu se remonta ao princípio dos anos 90, quando começaram a modificar jogos como Space invaders e Pac-Man. Mais tarde transplantaram Gothan City e toda a sua fauna ao Doom, o que lhes valeu o respeito entre a comunidade “gamer”, e se atreveram com o Quake 3.

Os gêmeos Andrés e Carlos posteriormente tiveram o seu batizado na Wanako Games, a firma pioneira na indústria local. Depois, decidiram ser independentes para dar substância ao first person shooter (FPS) Zeno clash, reconhecido como o melhor lançamento independente de 2009 pela revista especializada PC Gamer e nominado na categoria Artes Visuais do Independent Games Festival, o “Sundance dos videogames”.

img_banner