Reconhecimento por "excelência e contribuição"

Isabel Allende ganha o Prêmio Nacional de Literatura no Chile

Com algumas dezenas de prêmios em sua carreira, traduções a 27 idiomas e mais de 50 milhões de cópias vendidas em todo o mundo, destaca-se como uma das autoras mais influente e de maior sucesso da América Latina.

lunes, 20 de septiembre de 2010  
Isabel Allende: “Es el premio más importante que he recibido en mi vida” “Es el premio más importante que he recibido en mi vida y en mi carrera”, precisó la escritora al recibir el reconocimiento.

Para muitos, a romancista chilena Isabel Allende é uma das melhores expoentes da literatura latino-americana. Uma escritora consagrada que já recebeu vários prêmios na América Latina, Estados Unidos, Europa e agora também o mais importante galardão das letras chilenas: o Prêmio Nacional de Literatura.

Este reconhecimento foi entregue pelo Ministério da Educação "levando em consideração a excelência e a contribuição de sua obra para a literatura, que não somente teve grande recepção no Chile e no estrangeiro, como também tem sido reconhecida com múltiplas distinções e revalorizou o papel do leitor".

Entre as suas criações mais notórias se encontram A casa dos espíritos (1982), romance cuja versão cinematográfica interpretada por Meryl Streep, Glenn Close e Jeremy Irons arrecadou vários prêmios internacionais, e De amor e de sombra  foi levado ao celulóide por Betty Kaplan, que incluiu no seu elenco Jennifer Connelly e o espanhol Antonio Banderas.

Também se destacam Eva Luna e Histórias de Eva Luna, O plano infinito, Afrodite, Filha da fortuna, Paula, Retrato em sépia, Inês da minha alma e a trilogia As aventuras da Águia e do Jaguar para leitores adolescentes, composta por A cidade das feras, O reino do dragão de ouro e A floresta dos pigmeus.

Sua carreira como escritora foi reconhecida com diferentes prêmios literários em países como Estados Unidos, México, Alemanha, Itália, Portugal e França. Recebeu 29 distinções, entre as quais se destacam o Romance do ano 1983 (Chile) e Melhor Romance 1985 (México), obtidos por A casa dos espíritos;  Autor do ano em 1984 e 1986 (Alemanha), enquanto em Portugal recebeu o Prêmio Mulheres para o Melhor Romance Estrangeiro em 1987.

Apesar de todos estes prêmios, a escritora nunca havia sido reconhecida no Chile com o Prêmio Nacional de Literatura, galardão que nas 57 premiações anteriores somente foi outorgado a três mulheres: a poetisa Gabriela Mistral (1951), Marta Brunet (1961) e Marcela Paz (1984), autora do bem-sucedido romance infantil Papelucho.

Marcela Serrano, figura destacada da nova literatura chilena, comentou nos bastidores da entrega do prêmio: "Existe uma dimensão da obra de Isabel Allende que este país, com o seu eterno provincialismo, deixa passar: sua rotunda e radical globalidade. Ninguém, nem sequer Neruda, é mais lido no mundo. Ninguém jamais colocou o nosso país em cada canto do mundo como ela”, acrescentou.

A literata não somente foi apoiada no Chile. Por exemplo, a agente literária espanhola Carmen Balcells, em uma carta dirigida ao jurado do concurso, expressou: "Se durante os últimos 30 anos a literatura do Chile teve uma embaixadora conhecida e lida no mundo inteiro, esta não foi outra senão Isabel Allende”.

Além disso, Ballcells destacou as virtudes da escritora chilena para a narrativa: “Obra trás obra, ela sempre me impressionou com a variedade de temas e histórias que ia abordando, bem como a sua inesgotável versatilidade narrativa. Suas obras, como as dos grandes romancistas, - Charles Dickens, Gustave Flaubert ou Gabriel García Márquez-, alcançam todo tipo de leitores, sem distinção de idade, cultura ou categoria social".

Este prêmio nasceu em 1942 e é entregue a cada dois anos. A lista deste ano contou com importantes personagens da literatura nacional como Antonio Skármeta, Poli Délano, Fernando Emmerich, Jorge Guzmán, Enrique Lafourcade, Francisco Rivas, Germán Marín, Diamela Eltit e Hernán Rivera Letelier.