Relatório Anual de Transparência Internacional

Chile é qualificado como o país mais transparente da América Latina

Já no continente americano, o país ficou em terceiro lugar atrás do Canadá e de Barbados.

lunes, 08 de noviembre de 2010  
Chile ocupó el puesto 21 entre un total de 178 naciones. Chile ocupó el puesto 21 entre un total de 178 naciones.

Ontem na sede da Transparência Internacional em Berlim, a organização mundial que luta contra a corrupção publicou os resultados da última pesquisa do Índice de Percepção de Corrupção 2010, que mede esse quesito no setor público.
 
O estudo qualifica os países em uma escala de 0 a 10, onde 10 pontos significam grande transparência e zero ponto um alto grau de percepção de corrupção.
 
Dinamarca, Nova Zelândia e Singapura lideram o ranking deste ano, que receberam 9.3 pontos. Os países mais corruptos de acordo a esta medição são Afeganistão, Myanmar e Iraque (1.4 pontos cada um), e Somália, que recebeu 1.1 pontos.
 
O Chile ocupou o 21º lugar entre um total de 178 nações, superando países como Estados Unidos, França, Uruguai, Brasil e Argentina. Além disso, pela primeira vez em cinco anos o Chile conseguiu 7.2 pontos, 0.5 a mais que no ano passado, ficando como o terceiro país menos corrupto da América depois do Canadá (lugar número 6) e de Barbados (17).
 
Alejandro Salas, encarregado do departamento das Américas em Transparência Internacional, atribuiu a melhoria do Chile ao sistema de governo eletrônico que a liderança chilena implantou nos últimos anos, tais como sistemas de contratação pública transparentes e leis de acesso à informação pública que ajudam a combater a corrupção, de acordo à explicação dada em uma entrevista ao jornal local "La Tercera".
 
O índice está baseado em questionários aplicados a empresários e a especialistas realizados entre janeiro de 2009 e setembro de 2010.