Parque nacional Bernardo O’Higgins

Um encontro com os mistérios de um terreno inexplorado no Chile

Este território localizado na Patagônia é tão grande que nem os responsáveis por sua manutenção podem garantir quantas espécies de plantas e de animais existem neste lugar.

miércoles, 01 de diciembre de 2010  
Las nubes y montañas de Parque Nacional Bernardo O'Higgins. Las nubes y montañas de Parque Nacional Bernardo O'Higgins.

No meio da Patagônia do Chile, ladeado por populares destinos turísticos como Chiloé no norte e pelas Torres del Paine no sul, se estende no sul do Chile uma enorme franja de terra virgem e intocável. A única maneira de chegar a seus 3,6 milhões de hectares é navegando com ferrys através da rede de canais que formam a fronteira ocidental do parque nacional Bernardo O'Higgins.

O vento gelado e cortante que sopra no extremo austral da América do Sul se mistura com a chuva ou com a neve quase todos os dias do ano e em conjunto alimentam os ricos bosques de árvores de folha perene nativa do maior parque nacional do Chile.

Estas paragens estão dominadas pelo coigüe, uma das mais  importantes árvores nativas do Chile, que cresce desde as ladeiras dos Andes no Chile central, por todo o caminho ao sul. O ciprés de las Guaitecas cresce unicamente nesta região e algumas de suas maiores concentrações se encontram aqui.

Pouco se sabe sobre a vida silvestre desta zona. O huemul, uma espécie de cervo endêmico que vive também na fronteira com a Argentina, está em perigo, mas se acredita que a sua população mais saudável esteja vivendo dentro das fronteiras do parque.

Atualmente, entre os projetos em curso da Corporação Nacional Florestal (Conaf) - o organismo responsável pela administração das áreas silvestres protegidas do Estado-, se encontra o censo regional do huemul para determinar o alcance e a saúde de sua população.

Héctor Galaz pertenceu a este organismo durante 35 anos. Sendo que nos últimos nove anos se dedicou a trabalhar no parque Bernardo O'Higgins a partir da pequena aldeia de Puerto Edén, o único assentamento dentro dos limites do parque, com uma população de 120 pessoas.

"Estamos interessados principalmente na conservação de espécies endêmicas como o ciprés de las Guaitecas e o huemul, em particular”, explica.

Ao longo de sua margem ocidental, esta misteriosa paisagem se transforma em um grupo de ilhas montanhosas atravessada por uma labiríntica rede de canais e fiordes.

A total falta de transporte terrestre através do parque não quer dizer que esteja totalmente vetado para o turismo. Viajando de Puerto Montt a Puerto Natales e de volta, o ferry Evangelistas de Navimag é o meio de transporte para os turistas ao longo desta rota.

À medida que passam através dos fiordes patagônicos do parque Bernardo O'Higgins, os visitantes têm a oportunidade de ver os bosques nativos varridos pelo vento, que se aferram às falésias de granito, com seus picos cobertos de neve.

Estas vias marítimas intactas se mantém entre as paisagens mais puras do Chile, uma tentadora visão do maior e mais misterioso parque do país.

img_banner