City guide Santiago inside

Como os estrangeiros que moram no Chile veem Santiago

Alemães, suíços, austríacos e norte-americanos constroem uma maneira inovadora  de observar a capital chilena, e a expressam na primeira publicação do seu gênero feita por estrangeiros.

viernes, 24 de diciembre de 2010  
Cerro Santa Lucía en Santiago Centro. Cerro Santa Lucía en Santiago Centro.

Observar Santiago um pouco mais além de Sanhattan (o moderno distrito de negócios) ou de Isidora Goyenechea com El Bosque Norte (um elegante setor culinário) é o principal objetivo da Agência Chile Inside, que recebe e atende profissionais estrangeiros que visitam o país por um longo período, para elaborar um guia da capital chilena.

Esta publicação, que se chama “City guide Santiago inside”, conta com 120 páginas nas quais estão incluídas zonas de interesse, festivais, eventos, lugares para fazer compras e conselhos. Dentro deste último, se encontram –por exemplo- os “Insider tips”, recomendações especiais dos redatores do guia em tópicos tão diversos como a maneira de se cuidar dos batedores de carteira no centro da capital ou o acertado que é subir ao pico do cerro San Cristóbal depois de um intenso dia de chuva.

Este guia – pensado por estrangeiros que moram no país para os que o visitam ou vêm para ficar por um tempo- será distribuído gratuitamente a partir de janeiro de 2011 em hotéis, rent a cars e agências de turismo, entre outros lugares.

A principal inspiração é “ver Santiago com outros olhos”, segundo explica Marion Ruhland ao jornal chileno La Tercera. Marion é a gestora do projeto e veio da Alemanha. Morando em Santiago já há oito anos, explica que provavelmente para muitas pessoas que vivem na cidade um determinado bairro pode não ser interessante, “mas para nós é sim”.

Por isso é que ela tem muita confiança na publicação, pois apesar de reconhecer que já existe bastante material sobre Santiago, custa muito encontrar informações que fomentem e incentivem a conhecê-la a fundo.

Dentro das bondades da capital, Ulrike Dabsch, uma austríaca de 30 anos e uma das líderes do projeto, destaca  os altos níveis de segurança e do padrão de vida. “Há uma enorme quantidade de bons serviços e o grande plus é a proximidade com as montanhas e com o mar. As pessoas podem sair da cidade para passar o dia fora ou todo o fim de semana sem ter que dirigir durante muitas horas”, comenta a La Tercera.

Já na parte negativa, Ulrike anota a poluição atmosférica. “A péssima qualidade do ar, lamentavelmente, se vê refletida na qualidade de vida”, afirma.

Mas entre os aspectos positivos, os autores deste guia sublinham o auge das atividades culturais, das alternativas gastronômicas e da vida noturna, como o boêmio Bairro Bellavista.

Marion assinala que “quando cheguei Santiago não contava com grandes opções para os amantes da boemia. Felizmente, foram realizados vários esforços para reverter esta situação e agora se transformou em um agradável polo de diversão noturna. Também aumentaram a qualidade e a variedade de restaurantes, de oferta cultural e de infraestrutura turística”.

“City guide Santiago inside” constitui a primeira experiência similar encabeçada por estrangeiros no país. “Vemos Santiago com outros olhos”, destaca Marion Ruhland. E esse é, sem dúvida, o principal mérito deste inovador guia elaborado com pontos de vista alemães, suíços, austríacos e  norte-americanos que propõem a descoberta de verdadeiros tesouros escondidos na cidade.

img_banner