Cadastro de 100 nações

Newsweek reconhece o Chile como o melhor país da América Latina

A revista editada em Nova York qualificou positivamente aspectos como as condições sanitárias, o nível educacional e o entorno político.

viernes, 27 de mayo de 2011  

O semanário norte-americano Newsweek distinguiu o Chile como o melhor país da América Latina, o segundo entre as nações com renda nacional bruta (GNI) média, o 19º entre as que têm menos de 20 milhões de habitantes e o 30º do mundo entre uma centena de estados.

Na região, liderou ao se localizar na frente de Costa Rica (35º), Panamá (41º), Peru (42º), Uruguai (44º), México (45º), Argentina (46º), Jamaica (47º), Brasil (48º), Cuba (50º), República Dominicana (55º), Colômbia (62º), Paraguai (68º), Equador (70º), Venezuela (71º), El Salvador (72º), Nicarágua (75º), Honduras (76º), Bolívia (77º) e Guatemala (84º).

Entre os países com renda média, o Chile só foi superado, por muito pouco, pela Polônia (29º) e deslocou estados de todos os rincões do planeta, como Lituânia (34º), Malásia (37º), Bulgária (38º), Romênia (39º), Rússia (51º), Turquia (52º) ou África do Sul (82º).

A publicação de Nova York outorgou à nação austral uma pontuação global de 74,12 de um máximo de 100, após fazer a média em aspectos como as condições de saúde de seus cidadãos (85,51), considerando que a expectativa de vida saudável chega aos 70 anos.

Também recebeu uma boa pontuação em educação (80,62), graças à alfabetização de 95,7% da população e a escolaridade média de 14,5 anos, bem como em entorno político (76,90), qualidade de vida (69,47) e dinamismo econômico (58,08).

O ranking foi liderado pela Finlândia, que conquistou uma qualificação média de 89,40, seguida pela Suíça (89,31), Suécia (88,93), Austrália (87,94), Luxemburgo (87,45), Noruega (87,35), Canadá (87,29), Holanda (86,10), Japão (85,99) e Dinamarca (85,89).

Imagens gentileza Pedro Peanno