Segundo ano em linha

Viña del Mar se mantém como a cidade predileta dos chilenos

Valparaíso, Santiago, La Serena e Concepción também figuraram entre as melhores urbes para viver, trabalhar, estudar e visitar.

jueves, 29 de diciembre de 2011  
Viña del Mar se mantiene como la ciudad predilecta de los chilenos Entre los factores emotivos asociados a Viña del Mar, están su belleza arquitectónica, la amabilidad de su gente, su seguridad y el cuidado del medioambiente.

Pela segunda temporada consecutiva, os próprios chilenos elegeram Viña del Mar como a melhor cidade do país, de acordo aos resultados da pesquisa Barómetro Marca Ciudad, da empresa de consultoria Visión Humana e da agência de publicidade BBDO.

Localizada às margens do Pacífico e a uma hora de Santiago, a denominada “Cidade Jardim” foi considerada a urbe ideal para viver e visitar, bem como a segunda melhor opção para trabalhar e a terceira para estudar.

“Viña del Mar é como o nosso Rio de Janeiro, um lugar associado com o bem-estar no qual as pessoas depositam a sua fantasia de cidade ideal para viver ou se aposentar”, disse ao jornal La Tercera o psicólogo e diretor de Visión Humana, Patricio Polizzi.

“Os fatores que sustentam a boa posição viñamarina são o seu clima associado com a praia e o sol; os fatores emotivos nos quais se destacam: beleza urbanística, amabilidade de sua gente, segurança e meio ambiente. Além da sua funcionalidade, já que conta com grandes empresas, universidades, serviços de saúde, boa gestão municipal, vida noturna e está a curta distância da capital”, publicou o jornal.

A segunda edição da pesquisa foi elaborada com entrevistas a 1.400 pessoas de todo o país, às quais lhes perguntaram pela imagem das 20 principais cidades, tendo como única limitação a de não se pronunciarem sobre o seu lugar de residência.

Cinquenta e cinco por cento das avaliações recebidas por Viña del Mar nessas quatro esferas foram excelentes ou muito boas, baseando-se em uma escala de qualificação de 1 a 7. À continuação e  empatadas ficaram Valparaíso e Santiago, com 48%.

Os próprios chilenos escolheram a capital como a melhor cidade para trabalhar e estudar, mas a castigaram como lugar para estabelecer residência (8º) ou fazer turismo (6º), e mesmo assim foi percebida como a que tem a melhor oferta de programas ao ar livre e culturais.

Com atributos de terminal portuário, patrimônio da humanidade, polo acadêmico e ícone da boêmia, Valparaíso empatou com Viña no primeiro lugar da sub-categoria turismo, foi a segunda alternativa acadêmica e a terceira melhor opção para viver e trabalhar.

O quarto lugar da mostra correspondeu a La Serena, que se localiza a 500 quilômetros ao norte de Santiago, vizinha ao magnético vale do Elqui, cuja oferta vai do pisco aos potentes observatórios astronômicos, passando pelo legado de Gabriela Mistral e pelas suas praias no verão austral.

Fazendo jus ao seu nome, “as pessoas a veem mais como um lugar para descansar na velhice, mas para as pessoas que estão numa idade bastante ativa, viver aí representa um custo muito grande. É uma cidade positiva, mas o que a mata é a distância (de Santiago), sua pouca personalidade e funcionalidade”, explicou Polizzi a La Tercera.

Concepción, a maior cidade do sul do Chile, apareceu em quinto, fundamentalmente graças à sua oferta acadêmica, mas diminuída como zona para viver e passear, mais que tudo pelos estragos que o terremoto e o posterior tsunami de fevereiro de 2010 causaram nela e nas áreas vizinhas.

Imagem: gentileza Juan Ernesto Jaeger

img_banner