“Violeta se fue a los cielos” e “Joven y alocada”

Filmes chilenos triunfam no festival de Sundance

A fita de Andrés Wood sobre a vida de Violeta Parra obteve o Grande Prêmio Internacional do Júri, enquanto o filme de Marialy Rivas foi premiado como o Melhor Roteiro Internacional.

domingo, 12 de febrero de 2012  
Películas chilenas triunfan en el festival de Sundance Joven y alocada, de Marialy Rivas, obtuvo el Mejor Guión Internacional en el festival norteamericano de cine independiente.

O cinema chileno continua colhendo prêmios internacionais. Os últimos foram obtidos por duas produções chilenas durante o Festival de Cinema de Sundance 2012, que se realiza todos os anos na localidade de Park City em Utah, Estados Unidos, e é um dos mais importantes a nível mundial sobre cinematografia independente.


 
O filme Violeta se fue a los cielos, do diretor Andrés Wood, recebeu o  Grande Prêmio do Júri da 28° edição do festival, considerado o galardão mais importante deste evento. A produção, que conta a vida da influente folclorista chilena Violeta Parra, também recebeu críticas positivas na imprensa internacional e dois prêmios no Festival de Cinema Ibero-americano de Huelva 2011, por melhor direção e por melhor atriz, que correspondeu à protagonista do filme Francisca Gavilán.
 


Por outro lado, o longa-metragem Joven y alocada (Young & Wild em inglês), dirigida por Marialy Rivas, obteve o Melhor Roteiro Internacional. O roteiro do filme esteve a cargo de uma equipe formada pela própria Marialy, além de Camila Gutiérrez, María José Viera-Gallo e Pedro Peirano. O filme conta a história de uma moça bissexual que mantêm um blog onde relata a sua vida e suas obsessões.


 
Aos dois prêmios do Sundance há que somar um dos quatro Mahindra Global Filmmaking Award -que também é entregado durante o festival- que foi obtido pelo projeto audiovisual Tarde para morir joven (traduzida como Late to die young para os Estados Unidos), da também chilena Dominga Sotomayor.

 

img_banner