O Chile se consolida entre os países mais atraentes para investir no varejo

Ranking de 30 nações emergentes foi liderado pelo Brasil na segunda temporada consecutiva.

jueves, 30 de agosto de 2012  
Chile se afianza entre países más atractivos para invertir en retail

O Chile apareceu como o segundo destino mais propício para investir no varejo  no último Índice de Desenvolvimento Global Varejista (GRDI), que apresentou 30 economias emergentes.

Encabeçado pelo Brasil por segundo ano consecutivo, a lista da empresa de consultoria norte-americana A.T. Kearney registrou um avanço do Chile de um lugar com respeito a 2011, após superar o Uruguai.

O relatório qualificou o Chile como um dos mercados mais “sofisticados e competitivos” da região para este setor e uma economia de crescimento dinâmico, cuja expansão estaria ao redor de 6,2% neste ano.

Além disso, destacou a sua solidez financeira, caracterizada por uma inflação delimitada a 3,3%, e o baixo risco país, similar ao de potências como o dos Estados Unidos, da França e do Reino Unido.

A.T. Kearney acrescentou que “o varejo moderno tem se sobressaído graças a uma economia forte, investimentos locais relevantes e um aumento de 9% anual do espaço destinado a este comércio nos últimos cinco anos".

Entre os pontos de 2011, ressaltou a abertura de 35 locais por parte da rede norte-americana Walmart, uma condição que inspirou a chegada no Chile de outras firmas inéditas na América do Sul, como Gap e Banana Republic.

Da mesma maneira, valorizou a abertura do Costanera Center, o arranha-céu mais alto da América Latina, bem como a casa de marcas tão exclusivas como Longines, G-Star RAW e Façonnable.

Finalmente, apontou que as redes internacionais de restaurantes também estão se beneficiando das “favoráveis condições”. Como é o caso de Dunkin' Donuts, que planeja uma importante expansão no país.

Depois do Brasil e do Chile, apareceu a China, que avançou três degraus, o Uruguai, que caiu dois, e a Índia, que também perdeu um lugar. Fecharam o primeiro terço do ranking Geórgia, Emirados Árabes Unidos, Omã, Mongólia e Peru.

Como já é habitual, o GRDI avaliou quatro grandes variáveis: risco país; atração e saturação do mercado, e a ponderação entre o crescimento econômico e o desempenho do varejo.

Para ver o ranking completo, visite o seguinte vínculo externo


img_banner