Investimento estrangeiro no Chile bate recorde no primeiro semestre de 2012

Os negócios registraram um incremento de 80,2% entre janeiro e junho, quando totalizaram US$ 12,3 bilhões.

martes, 11 de septiembre de 2012  
Inversión extranjera en Chile, con récord el primer semestre de 2012

O Chile alcançou um recorde histórico em investimento estrangeiro direto (IED) durante o primeiro semestre de 2012, quando totalizou US$ 12,3 bilhões, ou seja, um incremento de 80,2% com respeito ao mesmo período do ano passado.

Do total, US$ 1,8 bilhão correspondeu a desembolsos via DL 600, o mecanismo voluntário de transferência de capitais ao Chile sob o qual os investidores estrangeiros se vinculam ao Estado.

O setor que liderou o ingresso de capital foi a Mineração, com 60,3% do total (US$ 1,1 bilhão), seguido por Eletricidade, gás e água, com 14,2% (US$ 251 milhões); Indústria, com 12,7% (US$ 225 milhões), e Transporte e comunicações, com 7,4% (US$ 131 milhões).

Os maiores aumentos se registraram na Indústria, que passou de US$ 27 milhões a US$ 225 milhões no mesmo período deste ano, e Eletricidade, gás e água, que aumentou de US$ 76 milhões a US$ 250 milhões, e deslocou  Serviços como o segundo setor receptor de IED.

O país que encabeçou o investimento estrangeiro ingressado ao Chile através do DL 600 foi o Japão, com 43% do total (US$ 760 milhões), seguido pelo Canadá, com 15,4% (US$ 273 milhões), e pela Suíça, com 12% (US$ 213 milhões).

A região do país onde se materializou maior IED durante o primeiro semestre de 2012 foi de Atacama, com 31,1% (US$ 550 milhões), na frente de Antofagasta, com 28,4% (US$ 502 milhões) e as multirregionais, com 14% (US$ 249 milhões).

“Que a porcentagem mais alta esteja dada pelo reinvestimento das utilidades das empresas estrangeiras no país - 48% da cifra total, equivalente a US$ 5, 9 bilhões-, é um claro sinal da confiança que a nossa economia desperta no resto do mundo e da recuperação econômica que o país tem vivido nos últimos dois anos, apesar de fatos como o terremoto e a crise internacional”, expressou o ministro de Economia, Fomento e Turismo, Pablo Longueira.

A agência estatal Comitê de Investimentos Estrangeiros (CIE), que proporcionou estas cifras baseando-se no balanço do Banco Central, recordou que o Chile ocupa o sexto lugar no ranking 2012 de países receptores de IED das Nações Unidas.

Imagem: cortesia Corporación Nacional del Cobre de Chile


img_banner