O deserto de Atacama terá a maior usina solar térmica do mundo

Complexo abastecerá operações de uma divisão da Codelco na Região de Antofagasta com 50 gigawatts por ano.

martes, 25 de septiembre de 2012  
Desierto de Atacama tendrá la mayor planta solar térmica del mundo

O Chile terá a maior usina solar térmica do planeta no deserto de Atacama, logo que a estatal Codelco adjudicar a um consórcio internacional a construção e operação da fonte de calor para o processo de eletro-obtenção na Região de Antofagasta.

O complexo, que será edificado pela chilena Energía Llaima SpA e pela dinamarquesa Sunmark, utilizará coletores planos 99% recicláveis, com uma superfície de 39 mil metros quadrados e um tanque para armazenamento de água quente de 3 mil metros cúbicos.

A usina se localizará em um terreno de 13,2 hectares nas proximidades da nave de eletro-obtenção da divisão Minera Gaby, localizada 120 quilômetros ao sudoeste da cidade de Calama, a uma altura de 2.660 metros acima do nível do mar, na cordilheira dos Andes.

Do ponto de vista energético, o processo de eletro-obtenção é intensivo no uso de combustível diesel para o aquecimento do eletrólito a uma temperatura de 50°C. Para a produção de 120 mil toneladas de cobre fino ao ano, se necessita de um consumo de 8 mil metros cúbicos do derivado de petróleo.

O acordo pelo serviço é de 10 anos, por um valor de US$ 60 milhões e poderia prolongar-se dada a grande vida útil dos equipamentos, que também proverão calor para serviços menores, como lavado de cátodos e aquecimento de reativos.

Com a produção de 50 gigawatts por temporada, a Minera Gaby economizará cerca de US$ 7 milhões e evitará a emissão de aproximadamente 15 mil toneladas de dióxido de carbono (CO2), além da circulação de 250 caminhões transportadores de combustível.

Imagens: gentileza Corporación Nacional del Cobre

img_banner