A rede chilena para aprender idiomas grátis se estende ao Brasil

A comunidade Políglota contata 35 mil pessoas semanalmente em nove países da América e da Europa. 

martes, 02 de octubre de 2012  
Se extiende a Brasil red chilena para aprender idiomas gratis

Um empreendimento chileno apoiará a aprendizagem gratuita de idiomas entre os brasileiros com vista á Copa do Mundo da FIFA 2014 e aos Jogos Olímpicos Rio 2016.

Políglota foi uma ideia de Carlos Aravena (28) e José Manuel Sánchez (23), que se uniram há dois anos em Santiago, especificamente na Pontifícia Universidade Católica como estudantes de Agronomia e Engenharia.

Motivados pelos idiomas, pensaram em fazer dinheiro com aulas e traduções, mas o modelo de negócios nunca se pôde terminar de consolidar. “Tínhamos muita gente interessada em aprender, que formava os seus próprios grupos de estudo, mas nenhum aluno matriculado”, lembra Aravena.

Em pouco tempo, a nascente empresa perdeu três dos seus cinco fundadores, o que obrigou a redirecioná-la a uma experiência presencial ou a um “evento social”, como eles gostam de conceitualizar o empreendimento, que decolou após uma afortunada aparição na imprensa.

O modus operandi é simples: Políglota recebe os antecedentes das pessoas interessadas em ensinar e aprender idiomas. Entre as primeiras, se designa e proporciona uma metodologia base a dois coordenadores para liderar grupos, cujos membros se encontram na cidade, e logo se reúnem pessoalmente uma vez por semana.

Nossas mães não nos cobraram para nos ensinar. Por isso mesmo, acreditamos que a aprendizagem de um idioma deve estar baseada na troca de conhecimentos e de experiências mais que limitar-se à compra e venda de um serviço”, resume.

Atualmente, a comunidade reúne cerca de 35 mil maestros e alunos de espanhol, inglês, italiano, francês,  alemão, chinês mandarim, japonês e português em mais de 55 cidades de nove países da América e da Europa.

“Quando decidem reunir-se em um bar, conversamos com o dono sobre a reserva de um espaço e um valor preferente na comida e na bebida”, garante Aravena, cuja rede tem hoje principalmente profissionais de entre 25 e 40 anos.

Após conseguir fundos públicos e a chegada de investidores privados, Políglota conseguiu abrir um escritório no Brasil a meados de 2012, com o objetivo de gerar ao redor de 250 grupos de estudo até o final do ano.

A ideia será concentrar-se em espanhol e inglês, além de implementar um programa de hospedagem gratuito, através do qual os membros locais possam receber os seus pares estrangeiros durante a realização da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos.

Assumindo que somente para o evento futebolístico chegarão ao redor de 3,7 milhões de visitantes, a intenção da Políglota é de ter no Brasil 15 mil alojamentos sem custo para 2014.

Paralelamente, Aravena e Sánchez trabalham em uma nova plataforma digital em oito idiomas à qual se poderá acessar via Facebook, Twiiter e LinkedIn, e que permitirá um contato mais integral entre os seus usuários a partir de novembro, com isto pretendem chegar a 100 mil usuários no curto prazo.

Para participar na comunidade, dar ou ter aulas, bem como postular ao programa de hospedagem, basta que se inscreva na sua página web.

Imagens: Pontifícia Universidade Católica e Políglota em Facebook


img_banner