O Chile e o Uruguai são os países mais transparentes da América do Sul

O Índice de Percepção da Corrupção localizou ambas nações igualadas no 20° lugar entre 176 avaliadas.

jueves, 13 de diciembre de 2012  
Chile y Uruguay son los países más transparentes de Sudamérica

Junto com o Uruguai, o Chile é percebido como o país com menos corrupção da América do Sul, segundo o Índice de Percepção da Corrupção 2012 de Transparência Internacional.


Ambas nações se situaram no 20° lugar mundial, em postos bastante elevados no ranking em comparação com  Brasil (69°), Peru (83°),Colômbia (94°), Argentina (102°), Bolívia (105°), Paraguai (150°) e Venezuela (165°).


Igualados no topo do estudo apareceram a Dinamarca, a Finlândia e a Nova Zelândia, enquanto que no extremo oposto estiveram o Afeganistão, a Coreia do Norte e a Somália.


No capítulo local de Transparência Internacional, Chile Transparente, ficou indicado que o desafio deve ser liderar o ranking, posto que um país sem corrupção é o reflexo de uma sociedade preocupada por seus setores vulneráveis, e que normalmente são os mais afetados por este flagelo.


O presidente desta instância, Gonzalo Delaveau, requereu às autoridades priorizar iniciativas com tendência a robustecer a probidade e a transparência, e à cidadania denunciar e condenar atos desonestos, para desta forma “fortalecer a confiança pública e a convivência democrática”.


“É fundamental que a sociedade em seu conjunto esteja atenta e reaja de maneira imediata e clara quando casos de corrupção chegarem ao seu conhecimento”, indicou.


Este índice é o instrumento de maior reconhecimento e prestígio para avaliar a percepção da corrupção no nível mundial.


Desde 1995 que é elaborado anualmente por Transparência Internacional e em 2012 incorporou 176 países, classificando-os de acordo com o nível de corrupção percebido em autoridades políticas e em funcionários públicos.


A lista foi construída a partir das percepções de empresários e analistas, tanto nacionais como estrangeiros, que são tomadas de diversas fontes, tais como o World Economic Forum e o Economist Intelligence Unit.


Neste último informe, foram efetuadas mudanças e atualizações na metodologia do relatório e, portanto, não se pode comparar com o estudo do ano anterior. No entanto, se se examinam os resultados do ano passado, calculados sobre a metodologia deste, a pontuação do Chile se mantém.


Fonte: Chile Transparente


img_banner