Guia de atrações

Rota do vinho

Terras férteis e vales privilegiados para produzir mostos. A natureza quis que fosse assim e é fácil comprová-lo.

lunes, 09 de agosto de 2010  
Rutas del vino Rutas del vino (Photo:Revista Placeres)

Tão antigos como o descobrimento do Chile, os vinhedos da zona central do país têm uma tradição mais que centenária. O vinho se transformou em parte da identidade nacional, em um dos produtos com maior número de unidades exportadas e tornou os vales nacionais uma referência obrigatória entre os especialistas do mundo inteiro.

Nas últimas décadas, a entrada de novos capitais e a introdução de modernas tecnologias têm permitido desenvolver o melhor de cada um dos vales, desde a zona del Elqui até Constitución. Cepas e vinhos diversificados e variados identificam cada zona do território.

Normalmente estes vales estão localizados perto de rios que batizam a sua origem e entre montes dos Andes ou da cordilheira da Costa. A influência dos ventos marinhos e do clima mediterrâneo, com estações marcadas e temperaturas sem grandes variações entre o dia e a noite, se une à riqueza da terra fértil para incrementar a produção.

Dentro dos principais tipos de cepas produzidas no Chile, se destaca o Carménère, reencontrado em 1994 no território nacional logo de se ter dado por perdida no mundo por mais de um século. Voltou com glória e majestade depois de estar escondida entre as uvas do Merlot.

Outras cepas que possuem uma grande fama são a de Cabernet Sauvignon, uma espécie de imperdível na história dos caldos no país, e a de Syrah, cuja irrupção se remonta a poucos anos e que tem dado vinhos concentrados, poderosos e saborosos. No entanto, entre os vinhos brancos, aromáticos, frutuosos e de sabores suaves, mas definidos destacam-se as cepas Sauvignon Blanc e Chardonnay.

“Me gusta el vino porque el vino es bueno” – (Eu gosto do vinho porque o vinho é bom), recita o cantautor chileno Tito Fernández, El Temucano; essa mesma estrofe devem recitar os turistas ao país quando visitam alguma das vinícolas chilenas e conhecem as bondades dos mostos.

Os Vales

O Vale Central se estende ao sul do rio Aconcagua e ao norte do rio Bío-Bío. Está entre a Cordilheira dos Andes e a Cordilheira da Costa e se trata de uma zona perfeita para a produção de excelentes vinhos. Está subdividida em vários setores.

Vale do Aconcagua

Localizado ao norte de Santiago, este vale se caracteriza pela produção de vinhos finos. Nesta zona existem numerosas vinícolas e todas podem ser visitadas em tours ou em forma independente. Aqui algumas das mais clássicas vinícolas são Sánchez de Loria, Viña Von Siebenthal, Viña Errázuriz e Viña San Esteban.

Vale do Maipo

Está ao sul de Santiago e se limita ao leste com a Cordilheira dos Andes e ao oeste com a Cordilheira da Costa. Para o norte se limita com o cordão montanhoso de Chacabuco e para o sul, com o de Angostura de Paine. Este Vale se divide em três zonas: Maipo alto, a mais de 650 metros acima do nível do mar; Maipo médio, entre 550 e 650 metros, e Maipo baixo, a menos de 550 metros. A planície do Maipo recolhe a força da torrente que desce da alta cordilheira, trazendo as águas do degelo, ricas em oxigênio e minerais, que regam generosamente as vides ao redor de seu leito.

Vale de Rapel

Começa 60 km ao sul de Santiago, entre as cidades de  Rancagua pelo norte e de Chimbarongo pelo sul. As características especiais do clima e do solo deste vale permitem o cultivo de uma ampla variedade de cepas. Está dividido em duas zonas, Cachapoal e Colchagua, as quais ganharam grande prestígio internacional, especialmente para o desenvolvimento das cepas Carménère e Syrah.

Vale de Curicó

Curicó está a 200 quilômetros ao sul de Santiago, é uma zona de planícies amplas onde a vitivinicultura tem se desenvolvido graças ao clima propício e à irrigação dos rios Mataquito, Lontué, Teno e Claro. Clima e solo privilegiados para a obtenção dos vinhos.

Vale do Maule

O vale do Maule é a zona mais austral do Vale Central do Chile. O seu nome se deve ao Rio Maule, localizado a 252 quilômetros ao sul da cidade de Santiago. Trata-se de terras generosas, com ampla tradição produtora, às quais se incorporaram cepas escolhidas,  moderna tecnologia e experiência vitivinícola.

Para mais informação visite Vinhos do Chile.


img_banner