Festival no Chile

Lollapalooza: imprensa estrangeira elogia sustentabilidade e cartel

A primeira versão desta festa musical fora dos Estados Unidos, realizada no último fim de semana em Santiago, só recebeu elogios.

lunes, 11 de abril de 2011  

A organização do festival Lollapalooza Santiago 2011 e seu público, calculado em 100 mil pessoas , receberam uma infinidade de elogios por parte da imprensa do mundo todo, Isso tudo ocorreu em Santiago do Chile: a primeira edição desta festa musical fora das fronteiras dos Estados Unidos.

The New York Times, uma das publicações mais influentes do planeta, elogiou a civilidade com que se viveram as jornadas do fim de semana de 2 e 3 de abril no parque O’Higgins, localizado em pleno centro da capital e que teve entre as suas estrelas figuras como Kanye West, Jane’s addiction, The flaming lips e Deftones.

“Uma mostra do cuidado com os detalhes foi que ao  entrar era difícil evitar receber um copo de refrigerante de um patrocinador. Cerca de 20 passos mais adiante, quando a maioria das pessoas já haviam tomado o seu refrigerante, pessoas sorridentes apareciam com grandes sacos plástico para recolher os pequenos copos para seu reciclado", disse o meio.

Essas pessoas foram os cerca de 600 voluntários do programa Cultura verde, impulsionado pelo estatal Conselho Nacional da Cultura e das Artes (CNCA) e pelo Ministério do Meio Ambiente, segundo o relato em sua crônica no jornal El Mercurio.

Este importante meio nova-iorquino também comparou a produção local com a versão de Chicago e o Grant Park com o parque O'Higgins: “ambos estão rodeados por edifícios, com a diferença de que o chileno tem, além do mais, como pano de fundo a cordilheira e uma gigantesca montanha russa se sobressaía por trás de um dos palcos”.

O The New York Times também agradeceu à variada  programação do festival que apresentou rock alternativo, pop, hip hop, eletrônica e, inclusive, reggae. O que também surpreendeu o correspondente Jon Pareles foi a apresentação do grupo local Chico Trujillo, que graças às suas cumbias se qualificou como uma “banda de classe mundial”.

O meio digital The Huffington Post se enganchou na entusiasmada cobertura do NYT, enquanto que as versões para o Brasil e para  Argentina da Rolling Stone destacaram a conjuntura que permitiu as visitas aos seus respectivos países de 30 seconds to Mars, Bomba estéreo, La Mala Rodríguez ou The National, finalizou El Mercurio.

img_banner